A Vivo começou a oferecer o Amazon Prime Video para os seus clientes. Os três primeiros meses do serviço são gratuitos, e a iniciativa é inédita para a América Latina.

A plataforma tem séries originais de peso, como Jack Ryan, The Man in the High Castle e Homecoming, além de conteúdos de outros estúdios, como Mr. Robot, This Is Us, The Office e The Good Fight. A plataforma também conta com vídeos e transmissões de eventos esportivos ao vivo.

Depois dos primeiros três meses de gratuidade, os seis meses seguintes do Amazon Prime Video para os clientes da Vivo vão custar R$ 7,90. A partir do décimo mês, o valor sobe para R$ 14,90, com o valor debitado na sua fatura mensal, que pode ser transmitido em até três transmissões simultâneas em diferentes dispositivos.

Os valores mensais do Amazon Prime Video são os mesmos para os não clientes da Vivo, mas sem os três primeiros meses gratuitos. O meio de pagamento é o mesmo: cartão de crédito.

Lembrando que o grupo Telefónica, que é dono da Vivo, fechou uma parceria global com a Netflix para integrar os erviço de streaming com a plataforma de TV paga, com a cobrança da assinatura na fatura do cliente. A integração completa da parceria deve acontecer até o final de 2018.

Como traduzir essa notícia? Fácil: “se você não pode vencê-lo, junte-se à ele”.

Além de investir em suas próprias soluções para oferecer os conteúdos de canais tradicionais na internet, a Vivo decide agregar valor ao seu serviço com os serviços de streaming, onde (obviamente) a prestadora de serviços vai obter a sua participação nos lucros por cada assinatura vinculante.

Na prática, os lucros aqui são pequenos, mas ao menos você fideliza o cliente no seu serviço também em função do conteúdo adicional que ele paga pelas plataformas online. É um movimento inteligente por parte da Vivo, e que pode (e deve) ser repetido por outras operadoras de TV por assinatura, internet ou telefonia móvel e fixa.

 

Via Vivo