Todo mundo que eu conheço já passou pela desagradável experiência de receber uma chamada telefônica com ofertas de produtos e serviços de telecomunicações das mais diversas categorias, e nos momentos mais inconvenientes. Podem ser até chamadas telefônicas automáticas, que resultam inclusive na adição de serviços que não foram solicitados pelo cliente. Basta atender a ligação, e pronto: o sistema entende que o cliente “aprovou” a adição do serviço ao seu plano.

Algumas operadoras de telefonia foram multadas recentemente pela prática de atrapalhar a vida dos clientes em momentos inadequados com essas ligações. Agora, a Anatel recebeu uma carta de compromisso das principais operadoras de telefonia do Brasil (incluindo TIM, Claro, Vivo, Oi e outras), que prometem combater tal prática.

As empresas se comprometem no termo a criar mecanismos para reduzir o incômodo causado pelas ligações abusivas. Também prometem apresentar em seis meses um Código de Conduta para Ofertas de Serviços de Telecomunicações por meio de telemarketing.

Três pontos motivaram a carta:

1. O excesso de ligações, os horários inconvenientes e a insistência das chamadas por parte das operadoras.
2. O descontrole das prestadoras de serviços de telefonia sobre as empresas parceiras, e a preocupação com o vazamento de dados de consumidores.
3. Os atendentes do setor de vendas que não dão transparência ao consumidor no momento da contratação de produtos e serviços, uma vez que precisam cumprir metas de vendas.

As operadoras que assinaram a carta (Algar, Claro/NET, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo) estabelecem os seguintes princípios para tentar contornar a situação:

– Ligar para os consumidores apenas em horários adequados
– Não ligar de forma insistente para os consumidores
– Respeitar o desejo do consumidor de não receber ligações
– Garantir a aderência à Lei de Proteção de Dados Pessoais
– Cooperar na melhoria das práticas de telemarketing em outros setores

A Anatel estima que, desde 2018, as operadoras de telefonia estão relacionadas a pelo menos 30% das chamadas de telemarketing. A agência lembra que a regulamentação não proíbe o telemarketing, mas pode estipular regras para reduzir o incômodo ao consumidor nas novas normas que estão em discussão em 2019.

Agora, se as operadoras vão efetivamente conseguir reduzir as chamadas de telemarketing, deixando o consumidor em paz… eu acho difícil. Sem uma multa pesada contra as operadoras, e uma mudança de postura do usuário (que precisa denunciar tal prática para a Anatel com maior frequência), dificilmente os excessos vão diminuir.

Mas ao menos a carta de compromisso mostra que as multas começaram a pesar no bolso das operadoras. Vamos esperar para ver o que pode acontecer daqui para frente?

 

Via Tecnoblog