As dúvidas mais frequentes sobre o coronavírus e suas respostas

Compartilhe

São mais de 140 mil casos de coronavírus em 140 países. Mais de 5 mil mortos ao redor do mundo. No Brasil, até o momento em que esse post foi produzido, são mais de 200 casos confirmados. E muita gente com dúvidas e/ou sofrendo da desinformação para tomar as melhores medidas para evitar o contágio.

Diante do fato que algumas pessoas ainda entendem que o coronavírus é uma invenção da mídia e, de forma irresponsável, tomam atitudes que podem comprometer a saúde de muitas pessoas, é nossa obrigação oferecer ao leitor do blog a informação correta. Por isso, dedicamos esse post a responder as perguntas mais frequentes.

Os sites da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Centros para o Controle de Enfermidades e Prevenção (CDC) dos Estados Unidos e do Ministério da Saúde do Brasil são duas excelentes fontes que respondem as perguntas mais frequentes feitas pelos usuários sobre o coronavírus, e compilamos nesse post quais são essas perguntas.

 

 

 

Por que o coronavírus está avançando tão rápido no mundo?

 

Os estudos indicam que o coronavírus possui uma proteína em sua superfície que facilitaria a infecção às células humanas, e isso provoca o avanço do vírus. E compreender a transmissão da doença é essencial para a sua contenção e prevenção futura. Por isso é importante as medidas de isolamento e quarentena para tentar evitar as consequências vistas na Ásia e na Europa. Outro fator do contágio está nos tecidos humanos, que contam com um receptor nas membranas celulares.

 

 

 

É possível transmitir o coronavírus através dos alimentos?

 

Nesse momento, não existem evidências que mostrem a transmissão do COVID-19 associado com os alimentos. Mas antes de preparar os pratos ou realizar as refeições, é importante lavar sempre as mãos com água e sabão durante 20 segundos para garantir a segurança alimentar de um modo geral. Lembrando sempre que o coronavírus é transmitido de pessoa para a pessoa nos atos de tossir ou espirrar, ou quando ficamos expostos à partículas de saliva de uma pessoa doente.

 

 

 

O clima mais quente detém a propagação da doença?

 

Alguns outros vírus, como o resfriado comum e a gripe, se propagam mais durante os meses de clima frio, mas isso não significa que seja impossível ficar doente com estes vírus durante outros períodos do ano. Logo, não dá para saber se a propagação do coronavírus depende do clima. Como todos ainda estão procurando entender o comportamento do COVID-19, esse é mais uma pergunta que ainda terá uma resposta definitiva.

 

 

 

Em qual momento eu devo utilizar a máscara de rosto?

 

Tudo bem, todos nós queremos evitar o contágio do coronavírus utilizando uma máscara. Porém, é fundamental deixar bem claro que o uso desse item serve mais para o uso das pessoas infectadas para proteger as demais pessoas sadias e não propagar a enfermidade. Ou seja, tenha o bom senso em usar a máscara para os outros, e não para você. Especialmente quando você tiver que lidar com um idoso que está sob os seus cuidados (você pode ter o coronavírus, e o mesmo ser assintomático no seu organismo, o que transforma você em um hospedeiro).

 

 

 

Os nossos animais de estimação podem contrair o coronavírus?

 

É recomendável que você se distancie dos seus animais de estimação caso esteja com o coronavírus. Não há informações sobre mascotes ou outros animais que ficaram doentes com o COVID-19, mas é recomendado que você limite o contato com os animais até que mais informações apareçam sobre o vírus.

 

 

 

Quando tempo o coronavírus sobrevive na superfície?

 

Não dá para garantir quanto tempo o vírus COVID-19 vai sobreviver nas superfícies. Ele pode sobreviver por horas ou até vários dias. Tudo pode variar de acordo com o tipo de superfície e a temperatura.

 

 

 

É possível contrair o coronavírus ao receber um pacote que vem de uma área com a epidemia?

 

A probabilidade de que uma pessoa infectada contamine produtos comerciais é baixa, e o risco de uma pessoa contrair o COVID-19 de um pacote que saiu, viajou e foi exposto a diferentes condições e temperaturas também é baixa.

 

 

Para mais informações, acesse: OMS, CDC, Ministério da Saúde


Compartilhe