A interface do Windows evoluiu de forma considerável nas últimas três décadas, e tais mudanças foram uma das chaves do sucesso do sistema operacional.

O Windows chegou com o objetivo de facilitar a experiência de uso que representava o sistema operacional MS-DOS. O Windows 1.0 era uma aposta muito ambiciosa, pois contava com uma interface gráfica de 16 bits, aproximando o mundo da informática a (quase) qualquer usuário.

As versões posteriores (Windows 2.0 e 3.0) foram mais polidas, até alcançar o acabamento visto no Windows 95, que assentou as bases que seriam usadas nas versões Windows 98 e Windows XP, e que se manteve (com algumas mudanças consideráveis) inclusive no Windows 10.

Apesar da base comum não mudar desde o Windows 95, podemos ver transições e mudanças interessantes ao longo dos anos. Por exemplo, a interface Aero que estreou no Windows Vista culminou no Windows 7.

O Windows 8 ofereceu as live tiles no lugar do botão Iniciar, uma mudanças que confirmava a aposta da Microsoft por tablets e smartphones, algo que não agradou aos usuários.

O Windows 10 mostra que a Microsoft aprendeu com os erros do Windows 8. Devolve o botão Iniciar e o protagonismo ao desktop, introduzindo um minimalismo que agradou a todos.

O vídeo abaixo mostra de forma simplificada a evolução da interface do Windows desde 1985 até hoje.