Temos smartphones cada vez mais rápidos e com inovações em várias frentes. Porém, a evolução das baterias seguem estagnadas, o que começa a afetar negativamente na autonomia dos dispositivos.

Vários testes mostram que a autonomia de bateria dos smartphones está piorando a cada ano, tanto no iPhone como nos dispositivos Android. A maioria dos smartphones lançados em 2018 oferecem menos autonomia por carga em relação aos seus antecessores.

 

 

Exemplos: o Google Pixel 3 ‘morre’ 1h30 anos do Pixel 2; o iPhone XS dura 21 minutos a menos que o iPhone X. Só o iPhone XR oferece autonomia significativamente maior e, ainda assim, pelo número reduzido de pixels por tela.

E enquanto o iPhone XS e XS Max contam com telas OLED, o aumento dos pixels não contribuem para uma melhor autonomia de bateria.

E o mais bizarro de tudo isso: o iPhone XS Max, que tem a maior autonomia em um iPhone na história, tem menos autonomia que o iPhone 8 Plus. Isso contradiz o que a Apple afirmou no evento de lançamento dos novos modelos.

Em resumo: embora as baterias melhorem cerca de 5% por ano, o consumo de energia está significativamente maior. Algo que não deve melhorar com a chegada das redes 5G em 2019.

 

 

Apple, Samsung e Huawei estão trabalhando nas otimizações de bateria. Porém, os esforços não dão vazão ao crescente consumo de autonomia dos recentes lançamentos.

Por enquanto, o iPhone com melhor autonomia de bateria é o iPhone XR. E no Android, o Huawei Mate 20 Pro ou o Samsung Galaxy Note 9 são os modelos mais equilibrados nesse aspecto.