Compartilhe

O fórum anônimo 8chan voltou como um novo nome: 8kun. Porém, seus criadores agora querem limitar qualquer conteúdo considerado ilegal nos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que procura manter a sua essência.

O ponto de maior destaque do 8khn é que agora o site conta com uma cláusula de extensão de responsabilidade, que serve como advertência: “qualquer conteúdo que viole as leis dos Estados Unidos da América será eliminado, e o responsável será banido”.

 

 

Não há detalhes claros sobre o controle de conteúdo

O 8kun iniciou as suas atividades em 3 de novembro, e até o momento conta com 70 boards ativos. Mais de 200 solicitações de migrações de boards foram registradas, e nesse momento eles buscam ter os 25 mais populares do finado 8chan.

Porém, até o momento, não há rastros do seu board mais popular e polêmico, onde Brenton Tarrant, o autor da matança de Christchurch na Nova Zelândia, publicou o seu manifesto racista antes do ataque.

Também não há presença do board de Patrick Crusius, uma mensagem de ódio publicada momentos antes de um tiroteio que vitimou 20 pessoas na cidade de El Paso (Estados Unidos).

O 8chan foi eliminado depois do tiroteio de El Paso, quando empresas como Cloudflare, Voxility e Tucows retiraram o apoio e os serviços ao site em agosto. A comunidade foi associada ao racismo e às ideologias extremistas, e os provedores não queriam ter qualquer tipo de relação com tais temas.

 

 

O 8kun mantém parte da equipe que administrava o 8chan, incluindo Ron Watkins, filho do dono do finado 8chan, Jim Watkins. Seus responsáveis escalrecem que estão conscientes da reputação do site anterior, e que não quer que o 8kun termine da mesma forma e, por isso, estão se alinhando com as leis, mas mantendo o anonimato dos seus usuários.

Até o momento, não está claro como o conteúdo ilegal será evitado, e que ferramentas implementarão para tal tarefa. Além da cláusula de extensão de responsabilidade na página inicial, não está claro se teremos mudanças na forma em que o 8kun vai controlar o conteúdo enviado para a plataforma.

 

 

Por outro lado, Fredrick Brennan, criador do 8chan, mantém a sua posição contrária à volta do site, afirmando que seus administradores são “pessoas terrivelmente incompetentes”. Já Jim Watkins, atual proprietário e operador do 8kun, segue com o discurso de oferecer garantias que o 8chan está “offline de forma voluntária”, e que ele está pronto para voltar com o serviço, depois de desenvolver ferramentas para marcar os conteúdos considerados ilegais.

A polêmica está servida. Fato é que o 8chan está de volta, com novo nome, novas promessas de controle, mas sem detalhes claros sobre como eles vão evitar o desastre da última vez.

 

Via Gizmodo, Vice


Compartilhe