Acabou a mamata, Brasil!

Você, fanboy da Xiaomi, que sempre defendeu a ótima relação custo benefício dos produtos da marca, pode começar a se despedir desse sentimento tão bom que habita em seu coração. Pois tudo vai mudar em 2019, e os dispositivos da Xiaomi ficarão mais caros!

Os smartphones top de linha da Xiaomi contam com preços acessíveis, onde a linha Mi ficou reservada para os modelos mais completos, e a Redmi, que antes era dedicada aos modelos mais completos, virou uma marca própria.

Mesmo assim, as duas marcas ou segmentos sempre tiveram preços bem acessíveis, o que permitiu que a Xiaomi conquistasse muito mercado e, em particular por aqui, se tornasse a queridinha de muita gente.

Modelos como o Xiaomi Mi 8 ou o PocoPhone F1 foram aclamados pelo grande público, por oferecerem preços acessíveis para produtos com processadores Qualcomm Snapdragon 845. Ou seja, modelos com chips de top de linha mas com preços de um linha média.

Tudo muito lindo. Mas isso vai chegar ao fim.

Um fã da Xiaomi colocou uma mensagem na rede social chinesa Weibo, elogiando os modelos Redmi Note 7 e Mi 8, afirmando que os dois são a melhor relação custo/benefício do mercado nesse momento.

Porém, o responsável pelo segmento de produtos na Xiaomi, Wang Teng Thomas, deu uma resposta que dá a entender que, depois do lançamento da marca Redmi, não teremos mais preços muito simpáticos vindos dos produtos da empresa, uma vez que a ideia é colocar a marca Mi como efetivamente a série top de linha do portfólio, e aqui temos que entender que serão produtos com valores mais altos.

 

 

O que levou um executivo da Xiaomi a responder dessa foram? Bom, podemos analisar tudo isso com diferentes frentes.

Por um lado, a Xiaomi pode estar tentando desovar os estoques do Mi 8 mais rapidamente, e isso pode indicar um lançamento iminente do Mi 9. Por outro lado, este pode realmente ser o novo posicionamento da empresa e, se realmente for isso, quem perde é o usuário final.

É uma estratégia parecida com a da Huawei, que chegou ao mercado mobile lançando smartphones de entrada com preços muito baixos. Assim, ela conseguiu construir o seu nome e fechar bons acordos com as operadoras, o que facilitou o seu crescimento. Depois, começou a apostar tudo nos modelos top de linha, que são bem mais caros, porém excelentes.

No final das contas, a Huawei teve que lançar a sua segunda marca, a Honor, para os modelos mais acessíveis. E isso funcionou para eles. Tanto, que a Huawei hoje é a segunda maior vendedora de smartphones do mundo. E isso sem se fazer presente em todos os principais mercados globais.

 

 

A Xiaomi está indo pelo mesmo caminho. Uma vez que já mostrou qualidade comprovada, agora vai subir os preços dos seus produtos. E quem sai perdendo é você, fã da Xiaomi.

Lamento por ser portador de más notícias, e mostrar que não existe fidelidade e muito menos amor eterno no mundo da tecnologia. Mas foi melhor assim. Ao menos eu estou sendo sincero com você e falando sobre a realidade antes do pior acontecer.

 

Via Gizmochina