Xiaomi POCO M3: vale a pena?

Compartilhe

A Xiaomi segue com a sua estratégia do “dividir para conquistar”, e aumenta a aposta nos dispositivos da Poco, sua marca que oferece smartphones com uma relação custo-benefício que é tão desejada pelos usuários. A última interação da empresa chinesa nesse sentido é o POCO M3, que promete ser o “novo rei da linha média”.

Outros fabricantes (principalmente a Samsung com os últimos lançamentos) buscam este reinado, mas nem sempre entregam o suficiente. Não dá para dizer ainda se o POCO M3 será o novo modelo referência dentro desse sentido, mas dá para ver várias coisas boas no produto, considerando o seu preço sugerido.

 

 

 

Diferencie “linha média” de “linha média premium”

 

 

Antes de continuar, é importante explicar para os leitores mais distraídos que estamos falando de um telefone que está com os dois pés bem dentro do terreno dos telefones de linha média, ou seja, modelos intermediários, que prometem funcionar bem, com um preço que não esfola o seu rim na hora do pagamento.

Logo, por motivos bem óbvios, o Xiaomi POCO M3 não vai superar outros dispositivos mais completos e com o processador Snapdragon de série 700. E nem é este o objetivo do modelo em questão: ele quer ser o bom telefone que atende bem às necessidades dos menos exigentes, por um preço não muito elevado.

Ter este entendimento prévio muito claro fará com que você olhe para o POCO M3 da forma correta. Pelo menos até o produto efetivamente chegar nas mãos dos usuários e passar pelo teste prático da vida, não dá para estabelecer comparativos entre ele e outros modelos mais completos, mas que custam o dobro do seu valor.

Aliás, nem cabe isso, mesmo em um tempo futuro.

 

 

 

Xiaomi POCO M3: vale a pena?

 

 

Considerando as suas especificações técnicas, o POCO M3 por 149 euros (não há preço estimado para o Brasil no momento em que este post foi produzido) pode valer a pena quando comparado com outros modelos do mercado nacional com as mesmas características.

O principal atributo do Xiaomi POCO M3 (e, talvez, o grande chamariz para a compra do dispositivo) é mesmo a sua bateria de 6.000 mAh, que promete uma longa autonomia de uso. Nos demais itens, ele não tem nada de muito extraordinário.

Quem sabe o sensor principal da câmera traseira de 48 MP, que deve entregar fotos decentes, ou a presença do NFC (que está se tornando cada vez mais comum nos smartphones de linha média, ainda mais na nova era dos pagamentos móveis), ou a presença do processador Snapdragon 662, que é o mínimo que se pede para um dispositivo que, por aqui, vai competir com os telefones de linha média da Samsung com processadores Exynos ou similares da Qualcomm.

 

De novo: não dá para pedir algo mais incrível do POCO M3, pois ele chegou ao nosso mundo para ser um telefone de linha média. Mas sempre chama a atenção ver com o a Xiaomi movimenta as peças para ampliar os seus tentáculos em diferentes frentes.

Para quem achava que o Pocophone F1 era um projeto isolado que seria abandonado, a Xiaomi mostrou ao mundo que o primeiro telefone da nova marca Poco era apenas o começo de algo muito maior. Não será surpresa se o POCO M3 se tornar um dos modelos mais procurados entre os usuários de linha média com o passar do tempo.

 

 

 

Xiaomi POCO M3: ficha técnica 

 

XIAOMI POCO M3
TELALCD
Full HD + IPS de 6,53 polegadas (1.080 x 2.340 pixels)
Gorilla Glass 3
PROCESSADORQualcomm Snapdragon 662
GPU Adreno 610
MEMÓRIA RAMLPDDR4X de 4 GB
ARMAZENAMENTO64 UFS 2.1 / 128 GB UFS 2.2
SD expansão de até 512 GB
BATERIA6.000mAh 18W de
carga rápida
CÂMERAS TRASEIRAS48 megapixels f / 1,79
macro de 2 megapixels f / 2,4
2 megapixels bokeh f / 2,4 <
CÂMERA FRONTAL8 megapixels f / 2.05
SISTEMA OPERATIVOAndroid 10
MIUI 12 para Poco
CONECTIVIDADEDual 4G
WiFi 5
Bluetooth 5.0 Rádio FM
infravermelho
Entrada para
fone de ouvido
USB tipo C
DIMENSÕES E PESO162,3 x 77,3 x 9,6 mm
198 gramas
OUTRAS Alto- falante duplo certificado para
leitor de impressão digital de áudio de alta resolução no lado direito
PREÇO4/64 GB: 149 euros
4/128 GB: 169 euros

Compartilhe