Winston transforma o seu MacBook em uma máquina de escrever

Compartilhe

Os mais velhos (eu, inclusive) ou os “jovens a mais tempo” certamente se lembram com muito carinho e uma boa dose de nostalgia das máquinas de escrever. Para quem é mais jovem e não viveu essa experiência, ela foi uma espécie de percussora dos computadores portáteis que usamos nos dias de hoje.

Usar um notebook pode até parecer igual, mas fato é usar uma máquina de escrever (ou até mesmo realizar exercícios de datilografia) é uma experiência completamente diferente, tanto por causa do som, do tato das teclas como na característica peculiar de ser obrigado a seguir adiante na digitação, sem poder apagar o texto em caso de erros.

 

 

Winston traz a experiência do passado para o presente

Se você procurava uma experiência de digitação similar às máquinas de escrever, o Winston pode ser uma boa opção. Esse é um aplicativo gratuito para macOS, desenvolvido por Chris Messina, que por sua vez alega ter se inspirado na Ommwriter para dar vida ao aplicativo.

O Winston é um software muito customizável, com várias configurações. Você pode ajustar a cor da máquina de escrever, estabelecer diferentes cenários de fundo para ilustrar a área de digitação, personalizar o som que a máquina vai emitir, a cor da tipografia ou o tipo de papel a ser utilizado na digitação.

Um ponto essencial desse software é que ele promete entregar uma experiência realista, a ponto de não ser possível apagar os caracteres se você eventualmente cometer erros na digitação (os caracteres errados vão aparecer tachados ou sobrepostos). A boa notícia é que esta é uma opção que você pode desativar, se assim você preferir. Vai que você quer entregar um resultado mais profissional, dentro de uma visão mais artística para um texto?

Na parte inferior direita da área de trabalho do aplicativo, aparece um símbolo em formato de hashtag. Quando ativamos esse símbolo, ele mostra quantas palavras você escreveu em cada documento. Esse é um recurso bem útil e interessante para você monitorar o progresso do seu texto, ajudando assim a determinar o tamanho da sua dissertação.

Outro ponto positivo do Winston é que quando você acaba de digitar o seu texto, você pode exportá-lo para diferentes formatos, indo de um simples arquivo TXT até a criação de um arquivo PDF, que vai conservar o tipo de folha escolhida, o fundo estabelecido e a tipografia clássica de uma máquina de escrever.

 

 

Conclusão

O Winston é aquele tipo de aplicativo que vai agradar em cheio aos mais criativos na hora de produzir textos na internet. Também deve fazer a alegria dos usuários hipsters, pois já dá para imaginar um digitador dentro desse grupo cultural e criativo sentado em uma Starbucks, tomando um café e irritando outros usuários com o barulho das teclas de uma máquina de escrever que esse aplicativo pode entregar.

Logo, fica a dica: para não irritar aos amiguinhos, eu recomendo fortemente que você use esse app em um lugar onde só você e, no máximo, outras pessoas que apreciam esse tipo de app estão.

Fica a torcida para que esse aplicativo chegue a outros sistemas operacionais (Windows, Linux ou Android), e até mesmo para o iPad. Ele seria mais que bem vindo nessas plataformas.


Compartilhe