A nostalgia impera nesse momento, e o Winamp é o próximo que se prepara para surfar nessa onda. O aplicativo prepara a sua volta triunfal ao mercado em 2019, com um novo dono, Alexandre Saboundjian, CEO da Radionomy.

O executivo declarou ao TechCrunch que tem tudo pronto para o retorno do aplicativo, onde teremos uma “experiência auditiva completa”. Vale lembrar que a versão 5.8 beta do Winamp vazou a algumas semanas.

Depois do seu lançamento em 1997, o Winamp foi adquirido em 2002 pelo AOL, depois de se tornar um sucesso global. Em 2014, foi vendido para a Radionomy, que até o momento estava em silêncio sobre o possível retorno do famoso reprodutor multimídia.

Pois bem, o Winamp 6 chegará em 2019, totalmente renovado, permitindo a reprodução de músicas em MP3 e podcasts, emissoras de rádio, playlists e conteúdos na nuvem. Estará disponível para computadores e smartphones.

Não há detalhes sobre como o novo Winamp vai trabalhar com essas diferentes fontes de mídia, ou como o aplicativo vai se integrar a serviços como Apple Music ou Spotify, já que o objetivo agora seria centrar os esforços de forma prioritária nos smartphones.

 

 

A versão 5.8 do Winamp será lançada em beta fechada ainda nessa semana, já apontando para o lançamento do Winamp 6 para o início de 2019. Vamos esperar que não seja apenas o retorno do nome aproveitando a onda de nostalgia, mas sim um solução sustentável para o mercado como um todo.

Nesse momento, a concorrência no mercado de reprodutores multimídia é bem interessante. O novo Winamp terá que competir, por exemplo, com o VLC, que esboça como força dominante nos desktops. E com inúmeros players para os smartphones.

Talvez a referência do nome ajude o Winamp a se restabelecer, mas é preciso ir um pouco além. Oferecer praticidade e recursos diferenciados é fundamental para o aplicativo prevalecer em relação aos seus competidores diretos.

 

Via TechCrunch