Compartilhe

As coisas estão mudando, e as desenvolvedoras de software continuam buscando formas de capitalizar os seus produtos e serviços. E até agora os navegadores foram ferramentas gratuitas para acessar aos sites web em todos os dispositivos suportados, como computadores, smartphones e tablets.

Porém, até isso pode mudar em breve, e para os amantes do Firefox, essa mudança pode afetar no bolso. Chris Beard, CEO do Mozilla, afirmou que a empresa tem planos para lançar uma versão premium do Firefox em algum momento durante o outono de 2019. E através de um pagamento, o usuário acaba recebendo recursos adicionais para uma navegação na web mais versátil.

 

 

Assinatura mensal pelo uso de um VPN

 

A diferença entre a versão premium e a versão standard está no fato da versão paga contar com recursos como VPN e armazenamento na nuvem. Beard citou o caso de um usuário que queira realizar uma transação financeira com o seu banco através de um WiFi público. Esse usuário do Firefox Premium contaria então com uma determinada quantidade de largura de banda VPN de graça, e logo poderia acessar um nível premium caso optasse pela assinatura mensal. O executivo deixou claro que a Mozilla não tem planos de cobrar por características que são gratuitas nesse momento, muito menos abandonar a versão paga do navegador web.

Em 2018, a Mozilla fechou uma parceria com a ProtonVPN para oferecer a um pequeno grupo de usuários norte-americanos a opção de comprar uma assinatura de um serviço de VPN pelo valor de US$ 10 ao mês. Nesse momento, a Mozilla descreveu essa iniciativa como parte de um processo que tem como objetivo explorar novas e adicionais fontes de receita que se alinham com os seus objetivos principais.

Falar de um Firefox Premium parece ser uma evolução natural deste experimento iniciado no ano passado, e ainda resta saber quais são os detalhes mais importantes dessa iniciativa, como por exemplo o valor da assinatura e se todo mundo vai ter que pagar para usar o Firefox (acredito que não, mas nunca se sabe).

E você? Pagaria um dinheiro extra por uma versão melhorada do Firefox ou de outro navegador?


Compartilhe