Compartilhe

A Toshiba anunciou que está abandonando por completo e de forma definitiva a fabricação de notebooks, vendendo o restante de sua propriedade para a Sharp. Assim, chega ao fim uma história que começou em 1985, quando a empresa japonesa lançou o seu primeiro notebook da história.

O início do fim aconteceu em 2018, quando a Toshiba iniciou o processo de “morte lenta” de sua produção de notebooks. A decisão aconteceu por conta do inevitável crescimento das vendas de smartphones e tablets, e enquanto vários fabricantes se reinventaram para sobreviver, os japoneses decidiram abandonar o barco, vendendo 80.1% de sua divisão de computadores pessoais para a Sharp.

A compra resultou na evolução dos notebooks da Toshiba e no nascimento da marca Dynabook, que chegou a lançar alguns modelos nos últimos meses. Ainda assim, a Toshiba mantinha 19,9% do controle das operações.

Pelo contrato fechado entre as duas empresas, a Sharp tinha o direito de comprar os 19,9% restantes da Toshiba depois de um determinado período. E isso aconteceu: no final de junho de 2020, a porcentagem restante foi absorvida, finalizando o processo de compra integral da divisão.

 

 

 

35 anos desde o Toshiba T1100

 

 

A Toshiba iniciou sua jornada no mercado de computadores pessoais com o Toshiba T1100, em 1985. O notebook contava com 256 KB de RAM, processador de 8 MHz, 512 kilobytes de memória interna e sua tela LCD em branco e preto recebia uma resolução de apenas 640 x 200 pixels. Porém, ele foi um sucesso de vendas, e marcou algumas das bases para um segmento de mercado que só iria crescer nos anos seguintes.

Este foi o primeiro computador compatível com o IBM PC, e trazia como novidades (para a sua época) baterias recarregáveis e drive de disquete de 3.5 polegadas. Tudo isso estava integrado em um computador portátil de 30 x 30.5 x 6.5 cm, com um peso que chegava a superar os 4 kg. Ou seja, não dá para chamar esse notebook exatamente de “portátil”, pois levar esse peso todo nas costas ou na mão é uma péssima ideia.

 

 

Durante a década seguinte e parte do começo dos anos 2000, a Toshiba chegou a liderar na fabricação de computadores pessoais. Porém, anos depois, marcas como Apple, Lenovo, HP, ASUS ou Dell avançaram e assumiram o protagonismo, apresentando modelos de notebooks mais inovadores e um maior volume de vendas.

O resultado dessa dinâmica de mercado foi a venda da divisão dos computadores pessoais da Toshiba para a Sharp por um valor ridículo: apenas 31 milhões de euros.

Mas assim é a história da tecnologia: gigantes nascem, gigantes morrem. Obrigado por tudo, Toshiba.

 

 

Via The Register


Compartilhe