Arquivo para a tag: Videos

Instagram habilita gravação de vídeos de até 60 segundos

by

instagram-filtros

Os viciados na gravação de vídeos no Instagram receberam uma ótima noticia. Agora, os vídeos pode contar com até 60 segundos de duração.

Com isso, teremos conteúdos muito mais completos e longos na plataforma, o que pode se converter em resultados excelentes para os mais criativos e para os veículos de mídia. De acordo com o Instagram, nos últimos seis meses, o tempo que os usuários da rede social de fotos passaram vendo vídeos aumento em 40%, de modo que a decisão por um aumento na duração dos vídeos era algo natural, ampliando assim suas possibilidades de uso.

Os usuários do iOS ainda contam com o bônus de poderem montar vídeos através de vários vídeos capturados por sua câmera, através da versão 7.19 do aplicativo, que foi lançado esta semana.

Parece que alguém lá no Facebook percebeu o potencial do recurso de gravação de vídeos dentro do Instagram, principalmente para os fins comerciais. Já vemos como as agências de publicidade e usuários mais criativos podem obter resultados realmente interessantes com os poucos 15 segundos que estavam disponíveis para os vídeos. Com até 60 segundos, poderemos ver anúncios completos, ou até mini reviews de produtos de tecnologia (para nós aqui no TargetHD, esse recurso vai funcionar muito bem durante a cobertura de eventos e lançamentos de produtos).

A opção de gravação de vídeos de 60 segundos já está disponível, mas será liberada aos poucos, ao longo de várias semanas, para as diferentes plataformas que o Instagram está disponível. Logo, é sempre bem vindo um pouco de paciência.

Spotify lança o seu serviço de vídeos para Android e iOS

by

spotify-video-ios-android

O Spotify anunciou hoje (26) que inicia a oferta de vídeos através de sua plataforma no seu aplicativo móve para Android e iOS.

O serviço oferece vídeos da ESPN, MTV, Comedy Central ou BBC, entre outras fontes, podendo acessar esses conteúdos a partir da nova seção “Shows”, a partir do menu de navegação do aplicativo. Uma vez acessada esta opção, há duas opções de visualização: os mencionados vídeos e as faixas de áudio que estão relacionadas com as ofertas de podcasts. Quando um vídeo te interessar, basta seguir o vídeo (tal como os artistas ou listas musicais) para adicionar esse canal na sua biblioteca.

Pelo o que foi possível comprovar, a atualização só chegou aos usuários norte-americanos (por enquanto), mercado onde os usuários devem ter acesso imediato ao recurso. Os demais países terão que esperar, se conformando apenas com a música.

A estratégia do Spotify é bem clara: ampliar o leque de opções de consumo de conteúdo em sua plataforma, aproveitando o momento de crescimento no consumo de vídeos através de dispositivos móveis. Cria uma alternativa em relação ao YouTube, Netflix, Amazon, Hulu entre outros ao mesmo tempo que tenta aumentar a permanência dos seus usuários dentro de sua plataforma.

screenshot-spotify

Via The Verge

HTC One M9 vazado (de novo), em vários vídeos

by

htc-one-m9-video-filtrado

Guardar segredos pra quê? Em 1 de março, a HTC vai apresentar o seu novo HTC One M9, mas com o ritmo dos vazamentos, não vai ter muito para Peter Chou contar como novidade. Dessa vez, três vídeos ‘oficias’ do smartphone vazaram na web – cortesia do Upleaks.

O primeiro deles (sem som) mostra de perto a interface do smartphone, com destaque para as possibilidades de personalização e no Blinkfeed e suas novas sugestões de locais. O segundo vídeo (também sem som) esta centrado na câmera, com algumas de suas funções e o menu de captura.

O terceiro vídeo é uma espécie de introdução de imagens do dispositivo, onde são revisadas algumas das principais especificações do smartphone: seu corpo metalizado, a câmera frontal UltraPixel, o sensor traseiro de 20 MP, o sistema de som BoomSound com Dolby Audio Surround e o suporte para novos gestos.

Faltam apenas cinco dias para confirmar o evento. Veja os vídeos antes que eles saiam do ar ‘casualmente’.

 

Via The VergeUpleaks

 

NVIDIA Shield Tablet, a nova proposta para games no formato tablet

by

shield-tablet-shield-controller-trine2-1

Depois de vários rumores e especulações, o NVIDIA Shield Tablet foi oficialmente anunciado. O novo membro do projeto Shield se apresenta com o que há de mais avançado no hardware para os games, além de uma grande versatilidade em um formato tablet. O novo produto conta com a nova plataforma Tegra K1, tela Full HD e várias novidades de software, além de um controle sem fio.

A NVIDIA aposta em um formato mais versátil que o primeiro NVIDIA Shield, através de um tablet com tela de 8 polegadas, que possui um hardware potente o suficiente para rodar os jogos mais exigentes, além de um bom sistema de alto-falantes e vários acessórios para torná-lo muito versátil.

O NVIDIA Shield Tablet possui dimensões de 221 x 126 x 9.2 mm, peso de 390 gramas, tela IPS de 8 polegadas Full HD (1920 x 1200 pixels), processador NVIDIA Tegra K1 quad-core de 2.2 GHz, GPU GeForce de 192 núcleos, 2 GB de RAM, 32 GB de armazenamento (na versão WiFi + 4G) e 16 GB (versão WiFi) – ambas expansíveis via microSD), sistema operacional Android 4.4.2 KitKat, conectividades WiFi 802.11n, Bluetooth 4.0 LE, USB 2.0, LTE (opcional), GPS e GLONASS, câmeras traseira e frontal de 5 megapixels, alto-falantes estéreo frontais, duplo refletor de baixos e microfone integrado, além de bateria com autonomia de até 10 horas de uso.

shield-tablet-with-stylus-1

O NVIDIA Shield Tablet permirá o streaming a partir do seu PC ou portátil, sempre e quando esses equipamentos contarem com uma GPU NVIDIA GeForce GTX, além de contar com o acesso ao NVIDIA Grid, para streaming a partir dessa plataforma. O Twitch também é compatível com o produto, e no Modo Console, o Shield Tablet pode se conectar à TV para rodar jogos e consumir conteúdo multimídia.

SHIELD_Tablet_Cover_Back_Wide

O produto conta com dois acessórios. O primeiro é uma smart cover, muito parecida com a de modelos concorrentes no mercado, permitindo posicionar o produto em diferentes posições.

shield-wireless-controller-front-1

O segundo é um controle sem fio, muito parecido com o layout do controle do primeiro Shield, mas dessa vez pensado em oferecer uma experiência mais completa quando conectamos o tablet à TV. Possui D-Pads, joysticks, gatilhos, botões ABXY e trackpad touch, além de suportar comandos de voz.

Duas versões do NVIDA Shield Tablet estarão disponíveis no mercado. Uma com WiFi e 16 GB de armazenamento (US$ 299), e outra com WiFi + 4G/LTE e 32 GB de armazenamento (US$ 399). O controle sem fio custa US$ 59, e a smart cover custa US$ 39. Está disponível em pré-venda exclusivamente nos Estados Unidos e Canadá, com os primeiros envios acontecendo a partir do dia 29 de julho.

A seguir, mais imagens do produto e de alguns dos seus jogos, além de um vídeo de apresentação.

 anomaly-2-01-1 anomaly-2-02-1 half-life-2-01-1 half-life-2-02-1 portal-01-1 portal-02-1 (1) pure-chess-01-1 pure-chess-02-1 shield-controller-1 shield-family-titanfall-1 shield-tablet-exploded-view-white-bckgr-1 shield-wireless-controller-right-1 shield-wireless-controller-side-1 shield-wireless-controller-top-1 the-talos-principle-01-1 the-talos-principle-02-1 trine-2-complete-story-01-1 trine-2-complete-story-02-1 war-thunder-01-1 war-thunder-02-1

Via NVIDIA Shield

E3 2014 | Os jogos multiplataforma mais esperados, em trailers oficiais

by

batman-arkham

Nem só de títulos exclusivos vive a E3 2014, felizmente. Títulos que poderão ser jogados pelos proprietários do PS4 e do Xbox One foram apresentados, mostrando que o mundo dos games pode ser democrático, oferecendo o mesmo entretenimento para donos de diferentes videogames. Nesse post, você confere os trailers de alguns dos títulos mais esperados – se algum jogo importante estiver faltando nessa lista, ele será adicionado em um momento posterior.

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

Assassin’s Creed: Unity

Tom Clancy’s The Division

Destiny

Batman Arkham Knight

Far Cry 4

Evolve

Fifa 15

Dead Island 2

The Crew

Ori and the Blind Forest

E3 2014 | Todos os jogos apresentados pela Microsoft, em trailers oficiais

by

13933464149_ea7f0b4342_o

A Microsoft realizou hoje (09) o seu evento de imprensa na E3 2014, e prometeu no começo do evento que focaria todas as suas novidades nos jogos. Bom, pela quantidade de trailers apresentados e demos realizadas no palco, podemos dizer que o pessoal de Redmond cumpriu com essa missão.

A seguir, entregamos uma larga lista de vídeos, para que você possa revisar com calma os jogos apresentados no evento, sem perder nenhum detalhe dos jogos que serão lançados nos próximos meses. Também estão adicionados os jogos desenvolvidos no projeto ID@XBOX. Divirta-se!

>

Vídeos mostram o Android Wear em funcionamento no LG G Watch

by

android-wear-lg

Por um lado, o Android Wear. Por outro, o LG G Watch. Os dois foram vistos em ação em vídeos promocionais, que oferecem a oportunidade de conhecer melhor esse promissor conjunto.

Ainda não sabemos qual é o nível de desenvolvimento dos dois produtos, mas o relógio parece ser um protótipo. O vídeo foi publicado pelo pessoal do AppDated, e mostra com muita qualidade a aparência do LG G Watch e algumas funcionalidades básicas do Android Wear, que também não podemos afirmar se está em uma versão final ou não.

De modo que é melhor tentar entender as novidades, sem fazer juízo sobre o que vemos. Deslizar de tela e gestos em uma interface que ainda parece ser bem confusa. Mas, de novo: tudo aqui parece estar em fase de protótipo.

Segundo a fonte da notícia, os vídeos foram produzidos na recente apresentação do LG G3. É esperado que o smartwatch dos coreanos seja o primeiro a estrear com a plataforma da Google.

Tudo indica que teremos que esperar a Google I/O 2014 para conhecer esse conjunto com maior profundidade. Até lá, só nos resta conferir os vídeos a seguir.

 

 

Via Android Community

Veja o unboxing do Amazon Fire TV (em vídeo)

by

amazonfiretv-closeup-nopopcorn-1

O recém anunciado Amazon Fire TV já desperta a curiosidade de muitos usuários. O produto, que promete colocar a gigante do e-commerce na sala das casas de muitos geeks não só oferece as características de consumo de conteúdo por streaming, mas também a proposta de console doméstico de videogames. E, para a alegria dos mais curiosos, temos um unboxing do produto.

É sempre bom lembrar que o Amazon Fire TV pode rodar vídeos em Full HD (1080p), não só da Amazon Prime Instant Video, mas também de serviços de terceiros, como por exemplo Netflix e Hulu. Além disso, um dos seus principais diferenciais está na sua ficha técnica, que é mais completa que os seus principais concorrentes: processador quad core, 2 GB de RAM e GPU Adreno 320, entre outras especificações.

Também é importante destacar que ao menos o seu controle para games já foi homologado pela Anatel no Brasil, o que é um indício muito forte que o produto chegará ao nosso mercado em algum momento (mas sem previsão ou data confirmada).

Vídeo a seguir.

 

Via Geeky Gadgets

Amazon Fire TV é anunciado oficialmente

by

amazonfiretvcloseup-1

A Amazon apresentou hoje (02) em Nova York (EUA) a sua primeira grande aposta no segmento dos set-top boxes. O novo Amazon Fire TV é um dispositivo com um formato semelhante ao Apple TV, com o adicional de todo o nutrido catálogo de conteúdos da maior empresa de e-commerce do planeta.

O produto da Amazon conta com um processador quad-core (sem maiores detalhes), 2 GB de RAM e conectividade WiFi dual band. Segundo os seus responsáveis, é três vezes mais potente que o Apple TV, o Roku ou o Chromecast, e prometem que sua opção resolve grandes problemas dos seus concorrentes, como por exemplo buscas mais complexas, melhor desempenho e um ecossistema fechado.

Assim é o Amazon Fire TV

amazonfiretv-firestanding-1

O set-top box da Amazon conta com suporte para conteúdos 1080p (4K não foi mencionado), além de saída de som Dolby Digital+. Vem com um pequeno controle remoto com um design interessante e um anel touch integrado, acompanhado de seis botões, que se encarregam pelas funções de reprodução. O controle remoto ainda conta com um microfone e um sistema de reconhecimento de voz, onde o usuário poderá ditar nomes de filmes ou séries de TV.

amazonfiretvhomescreen-1

A interface de usuário está repleta de imagens em tamanho grande, com acesso para aplicativos como Netflix ou Hulu (ao menos nos EUA), e seções em um menu dedicado à fotos, videoteca e jogos. A interface conta com características inovadoras, como o ASAP (“As Soon As Possible”, ou “Assim que Possível”), que prevê o que queremos ver a seguir, de acordo com os nossos hábitos. Sua integração com o IMDb e a exibição de informações dos conteúdos de vídeos é outro diferencial do software do Amazon Fire TV.

Também é possível usar o produto como interface de armazenamento das fotos que registramos em nosso smartphone e que enviamos no Cloud Drive, integrando esse dispositivo com uma frase que determina essa propriedade. Outro destaque do produto é o Xray for TV and Movies, que oferece informações adicionais sobre o conteúdo que estamos vendo, sincronizando com os tablets da linha Fire, e destacando o papel desses dispositivos como segunda tela. A opção Xray para músicas chegará no futuro, e vai permitir ver as letras das canções reproduzidas, de forma sincronizada.

amazonfiretv-voicesearch-1

O suporte para a reprodução e gerenciamento da biblioteca musical chegará ao produto no próximo mês, e a Amazon vai oferecer acesso aos serviços como Pandora, iHeartRadio e TuneIn, além de acesso adicional para as músicas já compradas no catálogo da loja.

Para as crianças, existe ainda o controle dos pais determinado pelo recurso FreeTime, que impõe limites sobre o que pode ser acessado, além de uma interface otimizada para as crianças, com um fundo azul. Para sair desse modo, será necessária a introdução de uma senha, para maior segurança.

Outra aposta da Amazon: os games

650_1000_amazon-fire-tv-10

Transformar o set-top box em um console de videogames é outro objetivo da Amazon com o Fire TV. A empresa fechou acordos com estúdios como Disney, Gameloft, EA, 2K, Ubsioft, Sega, DoubleFine e TellTaleGames para alcançar esse objetivo.

Segundo a Amazon, o catálogo de jogos oferecerá “milhares” de títulos a partir do mês que vem. Será possível interagir com os jogos através do controle remoto ou com um aplicativo para o tablet (também disponível no mês que vem). O controle oficial do produto (que já está homologado no Brasil) tem preço sugerido de US$ 39 – com 1.000 “Amazon coins” para compra de jogos na loja da Amazon -, que é descrito como “confortável e familiar”, que é similar ao controle dos consoles tradicionais.

Os jogos comerciais custarão, em média, US$ 1.85, mas também estarão disponíveis jogos gratuitos. Além disso, a Amazon vai desenvolver os seus próprios jogos, sendo que o primeiro será Sev Zero, um shooter que possui semelhanças com o popular Halo.

O novo Amazon Fire TV está disponível no mercado norte-americano a partir de hoje (02), com um preço sugerido de US$ 99. Não há previsão de lançamento para outros mercados.

amazonfiregamecontroller-front-1 amazonfiretvhomescreenangle-1 amazonfiretv-fireremote-1 amazonfiretv-closeup-nopopcorn-1 amazonfiregamecontroller-1 amazonfiretv-1

Yahoo estaria disposta a lançar a sua própria plataforma de vídeos, para roubar os maiores talentos do YouTube

by

yahoo-logo-1375850420.jpg.pagespeed.ce.r_45cu6gxY

Pense na seguinte situação: os seus canais de vídeos favoritos, que hoje estão no YouTune, poderiam simplesmente fazer as malas e buscar pastos mais verdes, visando lucros mais vantajosos. É com isso que o Yahoo conta para fazer com que sua futura plataforma de vídeos alcance o sucesso. Bom, é o que diz os últimos rumores publicados pelo site Recode.

De acordo com as fontes do site, o Yahoo estaria finalizando os preparativos do lançamento de um serviço de vídeos formulado especificamente para roubar do YouTube as suas principais estrelas, oferecendo aos publicadores uma maior margem de lucros.

Como você provavelmente bem sabe (e, se não sabe, ficará sabendo agora), algumas personalidades dos canais mais populares do YouTube estão insatisfeitos com os lucros que recebem da Google. Não só isso: também é ponto de irritação as políticas de uso que chegam a causar remoções injustificadas de vídeos e até a exclusão de canais inteiros por infrações de copyright discutíveis.

O problema é que, basicamente, nesse momento, não existe nenhuma alternativa diante do YouTube. Se você tem um canal de vídeos popular, e quer explorá-lo economicamente, ou você aceita as condições impostas pela Google, ou comece a pensar em outra coisa na vida para ganhar dinheiro.

A plataforma que a equipe de Marissa Mayer estaria elaborando não só ofereceria mais dinheiro aos usuários VIP descontentes com o YouTube, mas também uma ampla exposição ao público em geral, ao promover os seus vídeos na página do Yahoo. Algo que, convenhamos, não é nada depreciável, se considerarmos o tráfego que possui o seu portal.

Chegando a esse ponto, se você consegue ler nas entrelinhas, terá se dado conta que falamos muito dos usuários VIP do YouTube, e quase nada do público em geral. Então… o que acontece com o usuário comum?

Deve se conformar em ser um mero espectador.

A ideia do Yahoo é lançar o seu serviço para roubar as grandes estrelas do YouTube, e só mais tarde – talvez um ano depois -, eles podem abrir a sua plataforma de vídeos para o resto dos mortais, criando um sistema de conteúdo aberto para todos os internautas, ou diretamente adquirindo alguma empresa como a Vimeo, que aparentemente estaria buscando um comprador, e cuja atividade se encaixa como uma luva na categoria de tecnologia que o Yahoo necessita.

Considerando a facilidade com a que Marissa Mayer ter aberto a carteira ultimamente, não seria uma ideia muito descabida. Vamos ver se o tempo confirma todas essas teorias.

Via Recode

Rumor: Amazon está preparando um serviço gratuito de streaming de vídeos (com publicidade)

by

amazon-prime-instant-video

Na próxima semana, a Amazon vai realizar um evento relacionado aos serviços de vídeo e o lar. Se até agora todos os sinais apontava para um streamer de conteúdos com importante foco para os videogames, o Wall Street Journal revela hoje um adicional interessante: podemos ter um serviço de streaming de vídeo gratuito com publicidade.

Esta nova via de negócios da Amazon incluiria tanto o conteúdo de produções originais como de terceiros. De fato, a Amazon já investe a algum tempo nos dois segmentos: estima-se que em 2013, eles gastaram US$ 1 bilhão na produção de conteúdo para o seu serviço de streaming.

A diferença da Amazon para os seus rivais seria a publicidade. Eles planejam oferecer uma nova via de acesso ao seu conteúdo pelos canais já existentes, mas de forma gratuita, ou seja, sem a necessidade de assinatura ao seu serviço premium de compras. Também vai servir para a Amazon entrar em competição direta com as principais empresas do segmento de streaming, assim como no mercado de publicidade em conteúdos multimídia.

Isso não significa o fim da Amazon Prime. Pelo contrário: a publicidade vinculada pode ser até um estímulo para muitos adquirirem a assinatura anual, para justamente não ter que sofrer interrupções nos programas assistidos.

Com o formato de vídeos com publicidade, a Amazon pode oferecer videoclipes musicais associados a buscas na sua própria loja, o que pode ser melhorado, levando em conta tudo o que a gigante do e-commerce já conhece dos nossos gostos e hábitos.

Por enquanto, tudo está na zona dos rumores. Na semana que vem, vamos descobrir a verdade sobre os planos da Amazon.

Via WSJ

Criadores do TiVo lançam o QPlay, um dispositivo para serviço de streaming

by

QPlay

Muita gente que lê o TargetHD conhece o TiVo, mesmo não sendo um serviço mundial. O pioneiro no segmento de DVR (Digital Video Recorder, ou gravador de vídeo digital), que hoje está presente nas principais operadoras de TV por assinatura do Brasil e do mundo, anunciou um novo produto, o QPlay, que nada mais é do que um adaptador que chega para competir diretamente com o Roku.

O QPlay vai permitir o streaming de serviços de internet multimídia, tanto grátis como pagos, como Netflix, Hulu e YouTube, que se conecta na TV, sendo quase tão pequeno quanto um pendrive ou HD portátil. De quebra, o dispositivo pode ser controlado completamente a partir do iPad.

Obviamente, todo o vídeo será reproduzido a partir da nuvem, o que permite que você utilize o iPad para outra atividade, ou até mesmo desligá-lo durante a reprodução do conteúdo. Para quem não tem um iPad, também está disponível um aplicativo para o iPhone, e para os smartphones Android, um aplicativo será lançado no futuro.

O que torna o QPlay diferente do Chromecast ou do Roku é que ele conta com listas de reprodução automáticas, criadas a partir de feeds do Twitter ou RSS, conhecidas como “Qs”. Isso quer dizer que se, por exemplo, você quer ver tudo o que as pessoas que você segue no Twitter, você pode fazer isso. E não precisa configurar nada. O mesmo pode acontecer com todas as suas assinaturas do YouTube, ou criar a sua própria lista a partir do zero.

O dispositivo está disponível em fase de early adopters, com poucos recursos disponíveis. No estágio atual, ele apenas permite ver os vídeos do YouTube, Vimeo e similares. Para o futuro, além de oferecer aplicativos para Android, também é esperada a integração com o Hulu, Netflix e outros. Além disso, eles planejam manter os aplicativos móveis gratuitos, mas agregando serviços adicionais que serão pagos.

O QPlay tem preço sugerido de US$ 49.

Via GigaOM

COMUNICADO: por que vamos remover as gameplays de games nos nossos reviews em vídeo?

by

targethd-800

Aos amigos que acompanham o TargetHD.net e que assinam ao nosso canal de vídeos.

Nesse momento, eu estou acompanhando o que está acontecendo a respeito da possível exclusão do canal de vídeos do @FeCastanhari do YouTube. O Nostalgia pode ser excluído da plataforma por conta da nova política de violação dos direitos autorais da plataforma, algo que já estava em vigor no YouTube a algum tempo, mas que passou a se tornar algo mais efetivo nos últimos meses.

Deixo claro que estou do lado do @FeCastanhari na causa. Entendo que a política de punição do YouTube é feita sem critérios. Também entendo que o YouTube está “forçado” a ser mais rígido com suas punições, por conta das ações perdidas na justiça norte-americana contra os grupos Viacom e Fox (aliás, no caso do canal Nostalgia, quem deu a “última pá de cal” foi o grupo Fox, por causa de um vídeo paródia dos Simpsons). Mas também entendo que o YouTube (e a Google) precisam rever essas políticas de forma urgente.

Para resumir a questão: o YouTube quer que o conteúdo seja, se não 100% autoral, o mais autoral possível, sem a inclusão de qualquer tipo de conteúdo de terceiros, independente do tipo de uso, e em alguns casos, tendo autorização ou não.

No caso em particular do TargetHD, os meus reviews em vídeo já não podem ser monetizados no YouTube, e o motivo está nas gameplays de jogos que aparecem em alguns vídeos de reviews de smartphones e tablets. Já recebi o primeiro “strike” (ou punição) do YouTube por conta disso, e desde outubro de 2013, os vídeos do canal não podem mais ser monetizados. Não que isso faça muita diferença, pois nunca ganhei dinheiro com as visualizações dos vídeos no canal.

Porém, o canal de vídeos de reviews é uma das ferramentas que mais atraem audiência para o blog, e não estou disposto a perder isso por conta das regras do YouTube. Eu sou contrário às regras, questiono as mesmas, mas entendo que é melhor seguir todas elas, para manter o trabalho ativo.

Por isso, tomei a decisão de remover as gameplays de jogos dos meus reviews a partir de 2014, para não correr riscos desse porte.

Explicando melhor: os produtos que recebo via assessorias de imprensa podem aparecer nos vídeos, pois tenho uma autorização por escrito das assessorias dos fabricantes. Se, por qualquer motivo, algum fabricante contestar a utilização do produto em um determinado vídeo, eu tenho um recurso que protege legalmente aquele conteúdo.

Da mesma forma que produtos que foram adquiridos por mim. Se o produto é meu, eu posso fazer com ele o que eu quiser, uma vez que no valor do produto pago estão inclusos todos os correspondentes direitos de imagem.

No caso dos jogos apresentados nos vídeos, esses são conteúdos de terceiros, que é onde o YouTube está começando a enquadrar os produtores de conteúdo. Produtoras de jogos, canais de TV, produtoras de filmes e entretenimento… todos esses segmentos podem enviar uma reclamação formal de violação de direitos autorais, apenas porque a imagem do seu conteúdo está sendo replicada em um vídeo, sem sequer ter uma análise do conteúdo apresentado.

De novo: não estou contente em tomar essa decisão, mas prefiro prevenir do que remediar.

Os testes com games continuam nos reviews com fotos aqui no blog, sem maiores problemas (se houver algum problema sobre a utilização das print-screens de jogos, vocês serão avisados). Mas os games não mais serão reproduzidos em vídeo. Infelizmente.

Em breve, farei um comunicado em vídeo para inserção nos canais, reforçando essa decisão.

Sem mais para o momento, obrigado pela atenção.

 

Eduardo Moreira
TargetHD.net

GoPro terá o seu canal de esportes extremos no Xbox One e Xbox 360

by

goproripcurlportada

Muitos de nós gostamos de esportes extremos, que na maioria dos casos são gravados por fãs e produtores profissionais com as câmeras da GoPro. Por conta disso, não deve ser surpresa ver a empresa anunciar um canal repleto de programação relacionada com essas atividades. O mais curioso é que o canal não será para a TV paga ou via Internet, mas estará disponível exclusivamente para os consoles da Microsoft (Xbox 360 e Xbox One).

A notícia é, no mínimo, bem interessante, porém, não chega a ser algo totalmente novo. A GoPro já tem disponível um canal de esportes extremos que é exibido nos voos da companhia aérea Virgin America. Mas como você já pode imaginar, não se compara com a sua futura contraparte doméstica. Sem falar que, entre outras coisas, não é muito recomendável pular de emoção com vídeos de snowboarding durante os voos entre Nova York e Dallas.

A data de lançamento desse novo canal da GoPro não foi revelada.

Via Engadget

YouTube Rewind 2013 resume os mais vistos do ano em um vídeo… incluindo o Porta dos Fundos

by

2013inYouTube

Como já é uma tradição, o YouTube lançou hoje (11) o seu vídeo que resume o ano de 2013 no site de vídeos. Os melhores vídeos e canais mais destacados foram resumidos e representados em mais um sensacional vídeo “mashup” de quase seis minutos. E o Brasil está na parada dessa vez.

O vídeo lançado pelo YouTube é mais um musical com um remix dos vídeos musicais mais executados em 2013, contando inclusive com algumas celebridades que tiveram vídeos muito vistos no site, como são os casos do Macklemore (da dupla Macklemore & Ryan Lewis) e do apresentador Jimmy Fallon (que apresentou ao longo do ano releituras de hits musicais executados com instrumentos de brinquedo).

Os astros do vídeo são os proprietários dos canais de maior destaque de 2013, em performances que parodiam os hits musicais executados na versão remix. É possível relembrar que em 2013 nós tivemos, por exemplo, o Harlem Shake, o “What Does the Fox Say?”, entre outras pérolas.

2013inYouTube2

O canal Porta dos Fundos é o representante brasileiro no YouTube Rewind 2013, como o canal de vídeos mais popular do Brasil. Tudo bem, aparição breve e rápida… mas estão lá. Mesmo assim, eles não tiveram o vídeo mais visto do ano no Brasil (a paródia do Galo Frio de Rihanna, “Diamonds” – “Tô Sem Sinal da TIM” – teve mais de 18 milhões de visualizações).

O YouTube preparou uma área especial para resumir os vídeos mais populares de 2013. Você pode acessar a versão brasileira do YouTube Rewind 2013 nesse link. Inclusive está disponível uma versão interativa da compilação dos vídeos mais populares.

Setlist:

Music remixed by DJ Earworm: http://youtube.com/djearworm
The Fox (What Does the Fox Say?) by Ylvis: http://goo.gl/Z2Q6sq
Blurred Lines by Robin Thicke: http://goo.gl/8tcnhU
Can’t Hold Us by Macklemore & Ryan Lewis: http://goo.gl/o1wclM
Get Lucky by Daft Punk: http://goo.gl/9Z1rc1
Gentleman by PSY: http://goo.gl/X3bw7M
Harlem Shake by Baauer: http://goo.gl/fOQmFX

 

Veja a lista de indicados da primeira edição do YouTube Music Awards

by

youtube-music-awards

Já que a MTV não passa mais videoclipes na sua programação, e todo mundo vê os seus artistas preferidos na tela do computador, nada mais justo o YouTube criar a sua própria premiação musical. O já anunciado YouTube Music Awards já tem a sua lista de indicados, e os vencedores serão eleitos pelos internautas (e não podia ser diferente disso).

A lista de indicados foi formada a partir dos dados computados pelo próprio YouTube ao longo do último ano, baseado em critérios de engajamento social dos fãs no site de vídeos, incluindo visualizações, compartilhamentos, comentários e assinaturas nos canais de vídeos. Os vencedores da cada uma das seis categorias serão determinados pela votação direta dos fãs, contabilizando o compartilhamento desses vídeos nas principais redes sociais (Twitter, Facebook e Google+).

O YouTube também anunciou uma nova leva de artistas que se apresentarão no evento principal, que acontece no dia 3 de novembro, em Nova York. Avicii, M.I.A., Earl Sweatshirt, Tyler the Creator e Walk Off the Earth passam a integrar a lista que já era composta por Eminem, Lady Gaga, Arcade Fire, Lindsey Stirling e CDZA.

Lista de indicados a seguir.

Videoclipe do Ano:
Epic Rap Battles Of History – “Barack Obama vs Mitt Romney”
Demi Lovato – “Heart Attack”
Girls’ Generation – “I Got A Boy”
Justin Bieber (feat. Nicki Minaj) – “Beauty And A Beat”
Lady Gaga – “Applause”
Macklemore & Ryan Lewis (feat. Mary Lambert) – “Same Love”
Miley Cyrus – “We Can’t Stop”
One Direction – “Best Song Ever”
PSY — “Gentleman”
Selena Gomez – “Come & Get It”

Artista do Ano:
Eminem
Epic Rap Battles of History
Justin Bieber
Katy Perry
Macklemore & Ryan Lewis
Nicki Minaj
One Direction
PSY
Rihanna
Taylor Swift

Resposta do Ano (versões, adaptações, covers, releituras ou vídeos-resposta):
Boyce Avenue (feat. Fifth Harmony) – “Mirrors”
Jayesslee – “Gangnam Style”
Lindsey Stirling and Pentatonix – “Radioactive”
hePianoGuys – “Titanium / Pavane”
Walk Off the Earth (feat. KRNFX) – “I Knew You Were Trouble”

Fenômeno do YouTube:
Diamonds
Gangnam Style
Harlem Shake
I Knew You Were Trouble
Thrift Shop

Revelação do YouTube:
Kendrick Lamar
Macklemore & Ryan Lewis
Naughty Boy
Passenger
Rudimental

Inovação do Ano:
Anamanaguchi – “ENDLESS FANTASY”
Atoms For Peace – “Ingenue”
Bat For Lashes – “Lilies”
DeStorm – “See Me Standing”
Toro Y Moi – “Say That”

Para votar na primeira edição do YouTube Music Awards, clique aqui.

Vídeos do suposto Nexus 5 em funcionamento são publicados na internet

by

nexus5fcc00

De novo? Mais um smartphone esquecido em um bar? Ok, aos fatos. Parece que um funcionário do Google decidiu deixar o suposto smartphone Nexus 5 carregando em um bar, e saiu por aí para curtir a balada. Um funcionário do bar, ao perceber que aquele smartphone era bem diferente de tudo o que temos no mercado, aproveitou a oportunidade para tirar fotos e gravar vídeos do produto.

O problema é que, para a frustração do autor do material (que foi publicado pelo site 9to5Google originalmente), o smartphone estava com a tela bloqueada. Mas ao menos sabemos que era um produto que estava em funcionamento. Se for real, o que você verá nos vídeos a seguir são as primeiras evidências concretas que o produto da LG é real, e que pode mesmo ser lançado em breve (dizem que em 14 de outubro, mas nada confirmado).

O que eu me pergunto é: por que alguém sai com um dispositivo como esses pelas ruas? Sem ser oficial, e com certeza ainda sendo um segredo para a própria empresa?

Enfim, um dos detalhes que o smartphone mostra é a suposta animação de boot do novo Android 4.4 KitKat, que é a mesma utilizada pelos dispositivos Android vendidos na Google Play, em estado puro. Não dá para ver a interface do sistema, uma vez que, repito, o smartphone estava com a tela bloqueada.

Vídeos a seguir. E veja, antes que o Google apague.

 

Via 9to5Google, Tecnoblog

Instagram agora permite a inserção de fotos e vídeos através de sua interface web

by

instagram-1.jpg.pagespeed.ce.NargS_L_Cw

Está mais que provado que o Instagram não quer mesmo tirar o pé do acelerador no que se refere a integrar novas opções ao seu serviço. A partir de hoje (10), a interface para desktops da rede social de fotos (e vídeos) contará com um botão “compartilhar”, que permitirá copiar o código de uma determinada foto ou vídeo, para que você possa integrar aquele conteúdo ao seu blog ou site.

O objeto em questão será acompanhado do nome do usuário autor da imagem, para que não reste a menor dúvida sobre quem é o autor da foto do café da manhã ou do gatinho que você decidiu integrar no seu blog. E para a tranquilidade dos mais cautelosos, o Instagram explica que as fotos de perfis privados não poderão ser utilizadas com essa função.

Para mais detalhes sobre a novidade, acesse o post sobre o assunto, no blog oficial do Instragram.

Review | HD Portátil Seagate Wireless Plus

by

Seagate-Wireless-Plus-top Utilizamos nossos tablets e smartphones também para entretenimento. Não são poucos os usuários que consomem músicas e vídeos em dois dos dispositivos mais cobiçados do planeta. Mas 16, 32 ou 64 GB são insuficientes para aqueles que contam com uma grande biblioteca multimídia. E utilizar um HD conectado à porta microUSB do dispositivo (quando isso é possível) não é a solução mais confortável do mundo. Logo, a melhor escolha é utilizar um HD Wireless portátil, como é o caso do Seagate Wireless Plus. Nesse review, vamos analisar as principais características do produto, e compartilhar a nossa experiência do produto. A unidade enviada pela assessoria de imprensa da Seagate Brasil possui 1 TB de armazenamento, o que deve ser espaço suficiente para atender a demanda da maioria dos usuários que desejam levar a sua biblioteca de fotos, vídeos e músicas em qualquer lugar.

Antes de começar…

Os testes que fizemos com o Seagate Wireless Plus foram essencialmente com dispositivos móveis (smartphones e tablets), que é onde está a sua aplicação principal. O produto se descreve compatível com computadores, TVs e videogames, com a mesma funcionalidade: o streaming de conteúdo armazenado no periférico para esses equipamentos. Acreditamos que o produto deve funcionar sem problemas com TVs e videogames, mas como o nosso foco era a mobilidade, não realizamos tais testes. Apenas por uma simples opção pessoal.

Acessórios

DSC06665 O produto vem muito bem embalado, em uma caixa bem resistente. Nada mais justo: estamos falando de um HD de 1 TB, tal com outro qualquer, que é sensível à quedas e choques. Nesse aspecto, a Seagate cumpre com a necessidade de acondicionar o seu produto para transporte com qualidade. Já vimos outros fabricantes deixar isso por conta do varejista, o que nem sempre funciona muito bem. DSC07083 O kit de venda vem com um adaptador para rede elétrica, para recarregar a bateria interna do dispositivo, e para manter o produto em funcionamento durante várias horas. Lembramos aqui que a bateria interna do Seagate Wireless Plus tem uma autonomia de uso de até 10 horas longe da tomada. DSC07087 DSC07091 Além disso, um cabo USB acompanha o produto, para fazer o transporte dos conteúdos armazenados em seu computador para o HD. Vale lembrar que o Seagate Wireless Plus é compatível com portas USB 3.0, o que é uma mão na roda na hora de transportar grandes volumes de dados. DSC07095 Para se conectar ao adaptador de rede elétrica, o kit também acompanha o cabo de conexão para a porta DC do HD. DSC07097 O produto também vem com um adaptador para o cabo USB 3.0 (SuperSpeed), viabilizando assim a sua conectividade com notebooks ou desktops para transporte de dados. DSC07107 Por sua vez, esse adaptador se conecta na parte traseira do dispositivo… DSC07109 …deixando o produto com essa aparência, depois de seu adaptador ficar conectado.

Características Físicas

DSC07116 O Seagate Wireless Plus é um produto bem construído, e com um acabamento excelente. Diferente do que se imagina, a sua carcaça externa é feita de um plástico bem resistente, e não com um acabamento metálico. Mesmo assim, a aparência visual é ótima, sendo um produto sóbrio e muito bem apresentável para ser usado em qualquer lugar. DSC07120 É um produto relativamente espesso (12 cm de altura), mas isso não impede que ele cumpra com a sua principal missão: a portabilidade. Pesando pouco mais de 250 gramas, ele pode ser transportado com comodidade dentro da bolsa ou mochila, sendo também uma ferramenta interessante para um uso profissional (backups, armazenamento remoto, etc). DSC07155 Não que seja um produto que você vai ficar segurando o tempo todo, mas é bom ter uma ideia de sua proporção, ao segurar o produto. Para exemplificar melhor a sua proporcionalidade, ele é pouca coisa mais larga que o smartphone Samsung Galaxy Gran Duos (análise em breve aqui no blog). DSC07135 Outro cuidado da Seagate com o acabamento do produto está na parte inferior do dispositivo, que possui um acabamento em tom preto fosco, com os seus pequenos pés de apoio com materiais emborrachados. DSC07124 Tal como informamos antes, temos aqui o conector para o cabo DC, para recarregar a bateria interna do HD. DSC07130 O botão de liga/desliga do dispositivo… DSC07146 …que em atividade, fica com os seus dois LEDs ativos: o que indica a atividade do dispositivo, e o indicador de atividade de rede do HD. É sempre bom lembrar que o Seagate Wireless Plus conta com um dispositivo de rede para se comunicar com os gadgets e outros dispositivos. E é isso que torna o produto mais funcional e prático para a reprodução de conteúdos por streaming. DSC06716 Para transferir os seus conteúdos para o HD, nada melhor do que usar a porta USB 3.0 disponível no dispositivo.

O Produto em Funcionamento

Para realizar os testes do Seagate Wireless Plus, utilizamos o tablet Nexus 7, cujo review já foi feito no TargetHD.net (clique aqui para ler). Entendemos que essa é a forma mais prática e proveitosa para a maioria dos usuários consumirem os conteúdos multimídia, e porque também valia a pena aproveitar o potencial total de um dispositivo que já está plenamente ajustado para a reprodução de vídeos.

2013-05-22 21.54.55

Talvez um dos inconvenientes do dispositivo seja a necessidade de você se desconectar da sua rede WiFi de internet para utilizar a rede criada pelo HD da Seagate. Nos testes, tentamos utilizar o roteador como “intermediário” entre os dois dispositivos, mas isso não foi possível. O guia rápido do produto enviado pela Seagate também não dá indicações sobre essa viabilidade, e na prática, a interface interna de conexão do HD também não pode ser modificada. Logo, você precisa escolher: ou você navega na internet, ou vai ver os seus vídeos sem ser incomodado pelos seus amigos nas redes sociais.

2013-05-22 21.55.34

Dito isso, a conectividade é feita sem maiores dificuldades. Para as configurações iniciais, o software da Seagate vai te conectar uma primeira vez na internet para ajustes complementares de configurações e atualizações. Depois, o próprio software avisa que você precisa se conectar na rede do dispositivo para poder identificar os arquivos nele armazenados.

2013-05-22 21.57.26

A disposição dos vídeos armazenados podem ser exibidos por capas de miniaturas, que podem ser divididos em pastas, álbuns e categorias. Uma interface simples e limpa, de fácil identificação visual.

2013-05-22 22.16.12

2013-05-22 21.57.42

Se você assim preferir, você pode exibir esses conteúdos armazenados em forma de lista. Pode ser uma conveniência maior, dependendo da situação, até mesmo para obter informações adicionais desses conteúdos, como por exemplo o tempo de cada música armazenada em uma pasta específica.

2013-05-22 21.58.14

Para facilitar a sua identificação, a interface também mostra as datas de criação das pastas no dispositivo, o que ajuda e muito no gerenciamento dessas pastas e arquivos, principalmente nas escolhas dos conteúdos. Ao que interessa: a reprodução de conteúdos.

2013-05-22 22.01.46

Como é de nosso costume, deixamos os arquivos de legendas dentro das pastas dos vídeos, para identificar se o player de vídeo nativo da Seagate consegue reconhecer esses arquivos, exibindo as legendas no vídeo.

2013-05-22 22.01.02

E a resposta é: NÃO. De forma nativa, o player de vídeo do Seagate Wireless Plus não identifica as legendas de vídeo armazenadas na mesma pasta dos vídeos. Utilizando os formatos .MKV e .MP4, a opção oferecida pela Seagate não é a mais adequada para aqueles que dependem de legendas para compreender o que é dito nas suas séries preferidas. O problema poderia ser atenuado se o dispositivo fosse compatível com outros aplicativos de reprodução de vídeos, como o Play Filmes (Google) e o MX Player, que contam com suporte nativo para legendas. Porém, o Seagate Wireless Plus passa pela obrigatoriedade de passar pelo seu aplicativo para se tornar funcional, o que inviabiliza essa possibilidade. Testamos os dois aplicativos citados com o dispositivo, e em ambos, a unidade Wireless sequer foi identificada.

2013-05-22 22.04.43

Sobre a reprodução de formatos, os resultados oscilaram. Alguns dos principais formatos com maior qualidade de imagem, como .MKV, .MP4 e .WMV foram executados sem maiores problemas. Já arquivos no formato RMVB (ainda muito popular) não foi identificado, e o player simplesmente não respondeu ao solicitar a reprodução do arquivo.

2013-05-22 22.05.57

O Seagate Wireless Plus também possui um player musical integrado. Um player simples, com as funcionalidades mais básicas. Funcionou sem problemas ou travamentos.

2013-05-22 22.07.11

Detalhes como nome completo da faixa ou do arquivo em .MP3 também podem ser exibidos na lista de reprodução musical.

2013-05-22 22.07.47

O visualizador de fotos também é executado sem maiores problemas, inclusive com recursos de zoom integrado para as imagens.

2013-05-22 22.08.08 2013-05-22 22.08.18 2013-05-22 22.08.45

Conclusão

DSC07151 O HD Seagate Wireless Plus está APROVADO. O produto cumpre o que promete, com configurações de média complexidade para a maioria dos usuários, e funcionalidades essenciais para o consumo de conteúdos. Talvez as limitações de exibição de legendas no player nativo e alguns formatos incompatíveis acabem deixando a desejar, mas não desprezamos a possibilidade de contar com um dispositivo de armazenamento de 1 TB, com streaming sem fio e com a possibilidade de consumo de conteúdo em múltiplas plataformas. No Brasil, o Seagate Wireless Plus tem preço sugerido de R$ 699.