A tecnologia evolui, mas as baterias não. A autonomia dos smartphones geram um certo estresse, mas a solução está bem na nossa cara: o modo escuro. Essa está se tornando a melhor opção para economizar alguma bateria nos nossos dispositivos, com resultados notáveis em alguns casos.

 

 

Tem uma tela OLED? O modo escuro é uma ótima ideia

 

 

A Google sabe disso, e fez testes sobre o comportamento do YouTube no Android no consumo energético. A economia entre o modo escuro e o modo normal é de 14% com a tela em 50% do brilho, mas pode chegar a 60% de economia se a tela ficar com o brilho no máximo.

Ou seja, o branco do modo normal pode oferecer um contraste fantástico nos elementos visuais, mas também é um devorador de bateria.

 

 

Quando trocar a interface do Windows estava na moda

 

 

Porém, quase todos os sistemas operacionais forneciam o modo escuro, mesmo quando o branco dominava a interface do sistema. Aliás, o modo escuro em papel é estranho e foi pouco utilizado em publicações impressas, mas só agora é descoberto como algo muito interessante nos smartphones, tablets e notebooks.

Boa parte desse fenômeno está na popularização da tecnologia OLED, que permite que os pixels individuais gastam uma menor energia nas áreas escuras, praticamente sem consumir energia quando exibidos em um preto total.

Já as telas LCD não se beneficiam tanto do modo escuro. A prova disso é que o Google Pixel 3 (com tela AMOLED) consome 63% a menos de energia que um iPhone 7 (LCD) com o Google Mapas no modo escuro, com a tela no brilho máximo.

O Windows 10 já conta com o modo escuro por anos, mas nos últimos tempos começou a oferecer esse modo em aplicativos do sistema operacional. A Apple também decidiu incluir o modo escuro no macOS Mojave, com vários aplicativos aproveitando dessa solução de interface.

Porém, é o Android 9.0 Pie quem mais vai se beneficiar disso, aproveitando melhor a economia de bateria com uma tela OLED ou AMOLED.

 

 

A Apple ainda não oferece um modo escuro ‘oficial’ no iOS 12, mas existem algumas alternativas como a inversão de cores ‘inteligente’ emula o recurso, mas sem ser um modo escuro oficial.

É possível fazer essa transição de forma independente. Um site chamado Dark Mode List permite saber como configurar vários apps com esse modo, com algumas extensões de navegadores permitindo a aplicação do modo escuro em toda a internet.

A economia de energia só será efetiva com telas com tecnologia OLED, mas o ideal é contar com o modo escuro para a interface de todos os tipos de aplicativos e serviços. É um recurso muito valorizado pelos usuários atuais.