Todo mundo sabe que o Facebook está perdendo usuários, em uma velocidade que irrita ao Mark Zuckerberg. E quem está abandonando essa rede social são os mais jovens. Os millennials hoje pouco tem a ver com a rede social do menino Zuck, e é importante entender por que isso está acontecendo.

Um estudo recente da Edison Research mostra que 15 milhões de pessoas deixaram o Facebook nos Estados Unidos desde 2017. Desses, 11 milhões são adolescentes e millennials.

Em fevereiro de 2019, 62% dos jovens entre 12 e 34 anos nos EUA acessaram o Facebook regularmente, abaixo dos 79% registrados em 2017, e aqui está a queda de 11 milhões de usuários. A faixa etária entre 35 e 54 anos também registrou queda (-3%) nos últimos dois anos. Já acima dos 54 anos estão 53% mais ativos no Facebook em 2019, contra 49% em 2017.

Curiosamente (ou talvez estrategicamente), a maioria dos usuários que deixaram o Facebook em 2019 vão para o Instagram, que pertence ao Facebook. Por outro lado, a rede social apresenta crescimento global.

A saída entre os millennials pode estar relacionada com uma maior conscientização para a privacidade. Por outro lado, vários ex-funcionários da plataforma afirmam que existe uma lista de usuários que estão na lista negra de Zuckerberg, e essa lista é atualizada a cada semana.

Para entrar na lista, é bem fácil: basta enviar e-mails ameaçadores ao Facebook ou deixar comentários no perfil de Mark Zuckerberg, insulando ele de alguma forma. Qualquer pessoa que já ameaçou o Facebook ou aos seus funcionários pode estar na lista.

A inclusão na lista é automática, mas o Facebook notifica a sua equipe de segurança sempre que um novo nome é adicionado. O relatório inclui a foto, a localização geral e uma breve descrição do motivo pelo qual o nome foi adicionado.

Se a ameaça for crível, o Facebook começa a acompanhar o perfil do usuário através dos dados de localização coletados, através de dados de localização através do app do Facebook ou do IP associado à conta do usuário quando ele visita o site.

E esses são os motivos para os jovens pularem fora do barco do Zuckerberg.