Compartilhe

Facebook Messenger

 

Com o Facebook é assim: uma no cravo, outra na ferradura. Enquanto a empresa (sim, amigos… a rede social virou uma grande empresa) de Mark Zuckerberg acerta muito nos conceitos inovadores, valorizando novas tecnologias e flertando com a realidade virtual e até a leitura da mente, o Facebook Messenger se transforma em um verdadeiro monstro devorador de dados e recursos.

Isso acontece de forma irônica, e por alguns motivos pontuais.

Ao mesmo tempo que aparecem as críticas sobre o quão pesado está se tornando o comunicador instantâneo independente do Facebook, a versão web da rede social está mais e mais leve, o que mostra que a empresa está mesmo trabalhando para otimizar seus recursos para os dispositivos móveis.

Não posso afirmar como está o aplicativo oficial do Facebook para smartphones, pois abandonei essa porcaria a algum tempo. Mas fato é que a vida de quem usa a rede social por essa via está um pouco mais fácil.

Um pouco… não muito.

Por outro lado, a versão para desktops do Facebook está mais e mais pesada. Nos últimos dias, ficou difícil manter janelas de conversa abertas. Para ser mais específico, a janela do Messenger, a nova janela dedicada à conversas privadas, que é uma reprodução parcial da experiência de uso que temos nos dispositivos móveis.

Curiosamente, isso acontece ao mesmo tempo que o Facebook Messenger recebe novos recursos, que foram adotados também pela versão web. E os dois modos de uso acabaram com seu desempenho prejudicado.

Coincidência?

Eu estou duvidando.

 

 

Os novos recursos do Facebook Messenger são bem vindos, mas deixa o aplicativo bem pesado. Ou você pensa que GIFs e stickers animados não consomem recursos no dispositivo?

Isolados, talvez não. Mas somando vários e em sequência podem tornar a sua vida um verdadeiro inferno na Terra. Ou no smartphone, pelo menos.

Eu confesso que até posso viver sem essa papagaiada toda. Penso até na instalação do Messenger Lite, apenas para experimentar como será o consumo de recursos, apesar de temer que é só um placebo, já que vem adaptado da já pesada versão web.

Mas… e para quem não vive mais sem GIFs e stickers? Como é que fica?

Sem falar que, enquanto o WhatsApp consome cerca de 88 MB de recursos do smartphone, e o Telegram consome 44 MB, em média, o Messenger pode consumir com facilidade mais de 200 MB de memória.

Só por aí vale considerar a troca.

 

 

Além disso, muitos acusam o Facebook de não focar no que realmente importa no Facebook Messenger.

A lista de contatos do aplicativo, por exemplo: é algo horrendo!

É difícil localizar as pessoas, identificar quem está online, não divide por categorias… mais complica do que ajuda. E isso para não mencionar que, mesmo quando você não quer ser identificado como online, ele mostra para os usuários do aplicativo, tornando a minha vida um pé no saco em várias oportunidades.

Então… mano Zuck… vamos colocar essa p*rra pra funcionar?

Menos stickers e GIFs tontos e melhor desempenho no aplicativo do Facebook.

Posso até apelar para a versão Lite, mas o próximo passo será remover o aplicativo do smartphone.

Depois disso, não tem mais volta.


Compartilhe