Mitos e verdades sobre a sua nova smartband

Compartilhe

Você comprou uma nova pulseira inteligente ou smartband no Dia do Solteiro, Black Friday ou Natal, e ainda está se familiarizando com o produto.

Para quem apenas atualizou o modelo antigo por um novo, a experiência é apenas de adaptação aos novos recursos. Porém, para os marinheiros de primeira viagem, esse novo produto pode ser um tanto quanto confuso.

Nesse post, vamos aproveitar o momento de descoberta para derrubar alguns mitos e esclarecer algumas verdades sobre as smartbands que estão disponíveis no mercado.

 

 

 

A pulseira inteligente conta mais passos que o normal

 

 

Verdade.

A maioria das smartbands são mais ou menos precisas, mas conta os passos a partir do movimento do seu pulso. Ou seja, dependendo do movimento mais brusco do seu braço, ela vai interpretar isso como um passo.

Tente não estranhar esse comportamento, pois ele é absolutamente normal, mesmo parecendo algo anormal. Alguns fabricantes lançam updates de software para melhorar a precisão da pulseira, mas isso é mais a exceção do que a regra.

 

 

 

Posso mergulhar em qualquer lugar usando a pulseira?

 

 

A maioria das pulseiras inteligentes contam com algum tipo de proteção contra a água, mas não contra derramamentos de outros líquidos.

Se você usa constantemente a smartband para nadar na piscina ou no mar, você pode ter dificuldades em fazer a garantia do produto cobrir os reparos.

Fica a dica.

 

 

 

São mais resistentes que o smartphone

 

 

Mito.

O fato de ser menor e ser utilizado o tempo todo no pulso não quer dizer que a smartband é mais resistente.

Procure comprar um protetor para a tela, que tende a riscar com facilidade com quedas e encontros involuntários com paredes.

Além disso, as quedas são mais constantes, especialmente por ser um produto utilizado principalmente nas atividades físicas.

 

 

 

Smatbands provocam câncer

 

 

Mito.

Essa história começou como uma fake news na internet que, tal e como acontece como toda notícia falsa, correu como pólvora.

Os sensores e os conectores da pulseira inteligente estão em contato com o nosso corpo o tempo todo, pois isso é necessário para o seu funcionamento correto.

Porém, essa história de uma smartband provocar doenças como câncer ou disfunção erétil são apenas mentiras contadas por mentes desocupadas.

 

 

 

Conclusão

 

 

Entendo que é importante você saber sobre esses mitos e verdades envolvendo as pulseiras inteligentes. Afinal de contas, você comprou o produto com uma expectativa. Logo, merece obter um pouco mais de informação sobre o seu bom uso com ele.

Tem várias dicas e macetes sobre smartbands aqui no TargetHD.net. Vale a pena dar uma olhada no que já publicamos sobre o assunto.


Compartilhe