Compartilhe

Você até pode nunca ter ouvido falar do nome Jony Ive, ou nem saber quem é esse cara. Mas se você tem um iPhone, um Mac, um MacBook, um iPad, um iPod ou até um Apple Watch (ou algum produto de marcas concorrentes que copiaram esses produtos ao longo das últimas duas décadas, pelo menos), você com certeza teve algo a ver com esse cra.

Jony Ive foi o chefe de design da Apple, e principal responsável pela entrega dos designs de produtos que hoje são considerados lendários ou referência para todo um segmento de mercado. E a notícia de sua saída da Apple cai na cabeça de todos nós, entusiastas de tecnologia, como uma bomba gigantesca.

 

 

Sem Jony Ive, a Apple perde uma mente brilhante

 

 

O agora ex-chefe de design da Apple deixa a empresa depois de quase 30 anos de serviços prestados, onde desenvolveu alguns dos produtos mais icônicos da gigante de Cupertino e da história do mundo da tecnologia de consumo como um todo. Mac, iPod, iPhone, iPad, Apple Watch… todos eles recebem a sua assinatura, e foi graças à ele que a empresa é sinônimo de elegância no design dos sues produtos.

O anúncio da saída de Jony Ive foi feito de forma exclusiva pelo Financial Times, onde o designer revelou que não vai prosseguir como um funcionário da gigante de Cupertino, mas que se manterá envolvido com a empresa de alguma forma, e espera os “muitos anos que estão por vir”. Ive expressa que tomou essa decisão em um momento “natural e suave” para poder realizar essa mudança.

Jony Ive é considerado por muitos o designer industrial mais famoso do mundo, e responsável pela identidade estética que a Apple possui hoje. A sua saída pegou muita gente de surpresa, já que ele mesmo se considera um dos ativos mais importantes da Apple, especialmente nesse momento em que a empresa inicia uma nova fase, repensando a sua visão e/ou campo de atuação nos mercados de produtos e serviços.

 

 

Tim Cook tentou minimizar o impacto da notícia, tachando a saída como uma “evolução”, e garantindo que o seu time interno de designers é “o mais forte que jamais existiu”, onde a Apple vai seguir trabalhando “com o mesmo time” e que terá prazer em seguir trabalhando com Ive de alguma forma.

Tendo a discordar de Cook dessa vez.

Jony Ive é uma mente brilhante. Quando Steve Jobs apostou as suas fichas na sua visão peculiar para os produtos da Apple, tomou uma das decisões mais importantes e acertadas após a sua volta para a gigante de Cupertino. Ive transformou os produtos de tecnologia em itens de excelência, verdadeiros objetos de desejo cobiçados por todos que afirmam ser apaixonados por tecnologia.

A sua saída representa mais do que o fim de uma fase para uma empresa que procura se reinventar e buscar novos caminhos, mas também a perda de uma visão singular em um aspecto que a própria Apple estimulou a todos os usuários a colocar uma ênfase ainda maior na hora de escolher um produto de tecnologia para chamar de seu: o design.

Uma pergunta fica nesse momento: quem vai substituir Jony Ive na Apple. E não temos uma resposta imediata. Ive era chefe de design da Apple desde 2015, e não há nomes específicos para sucedê-lo na empresa, muito menos que conte com tamanho peso para assumir tal perspectiva. Alguns nomes são ventilados, como Alan Dye e Evans Hankey, já que ambos tiveram um papel importante no desenvolvimento do Apple Watch.

Por outro lado, Jony Ive vai se aventurar no mundo empresarial com a LoveFrom, uma empresa de design que tem como primeiro cliente… a Apple! Pouco sabemos sobre esse projeto, além dos ambiciosos planos de Ive para ele. Seu plano se baseia, por enquanto, em ficar na Califórnia. Marc Newson, amigo e colaborador que estava no time de design da Apple desde 2014, será o seu parceiro no projeto, que deve reunir uma “coleção de criativos” de uma empresa que deve gerenciar aspectos que vão além do design.

Não dá para ver a situação de outra forma: este é um duro golpe para a Apple. Fica a dúvida se a empresa vai se superar, apresentando novos, melhorados e surpreendentes designs nos seus futuros produtos. Ou se esta será a última vez que a gigante de Cupertino poderá dizer que é referência de design nos produtos de tecnologia.

Baseado em tudo o que eu vi sobre o hipotético iPhone 11, dá pra dizer que essa nova fase não começa tão promissora. Me arrisco a dizer que Jony Ive saiu da Apple de tamanho desgosto em ver aquela porcaria de design que, muito provavelmente, deve ser o design final do futuro smartphone.

O tempo vai dar as respostas para as minhas dúvidas.

 

 

 

Via Apple, Financial Times


Compartilhe