Os novos smartphones top de linha da Google, o Google Pixel 3 e o Google Pixel 3 XL, passaram pela bancada do iFixit, e foram devidamente desmontados.

Assim, ficamos sabendo os detalhes de construção dos dois dispositivos, e esclarecer dúvidas sobre a resistência à água e poeira ou o fabricante de suas telas OLED.

O objetivo do iFixit é apurar a facilidade de reparação dos dispositivos, atribuindo um índice de reparabilidade a cada produto com uma nota. Tal curiosidade é relevante para quem quer saber quanto vai custar a reparação do seu smartphone em caso de problemas no futuro.

 

 

Os dois dispositivos receberam a mesma nota, e as notícias não são tão positivas assim. O iFixit atribiu uma nota 4/10 no nível de reparação do Google Pixel 3 e Google Pixel 3 XL.

O iFixit elogia a facilidade e flexibilidade dos adesivos utilizados nos dois dispositivos. Porém, pouco mais de positivo tem a dizer sobre a facilidade de desmontagem e reparação dos dois smartphones.

Também é visto como um ponto positivo o uso de parafusos com o mesmo tamanho/formato em todo o dispositivo. Para todos os demais itens, o trabalho para abrir ou substituir algum componente é algo trabalhoso ou ardiloso.

 

 

Vários selos e borrachas estão presentes em todos os pontos de entrada do smartphone, confirmando assim a certificação IP68, o que deixa o dispositivo resistente à água e poeira.

Para resumir: o Google Pixel 3 e o Google Pixel 3 XL, dispositivos que naturalmente cobram importância e protagonismo por serem considerados os embaixadores do Android 9 Pie, não são fáceis de serem reparados, o que pode desanimar um pouco aos usuários que se preocupam com a questão da manutenção do dispositivo em caso de problemas.

Por outro lado, são smartphones bem construídos, e a presença da certificação IP68 é sempre uma garantia extra para os usuários.

 

 

Por fim, e a título de curiosidade, o iFixit confirmou que as telas OLED são fabricadas pela Samsung (Google Pixel 3 XL) e LG (Google Pixel 3), respectivamente.

 


 

Via iFixit