Google I/O 2020 será via streaming, por causa do coronavírus

Compartilhe

Mais um grande evento de tecnologia é cancelado por causa da crise do coronavírus. O Google I/O, que estava previsto para acontecer no dia 12 de maio em Mountain View, Califórnia (Estados Unidos), teve o seu evento físico cancelado, por recomendações das autoridades sanitárias.

O Google I/O recebe a cada ano milhares de pessoas, algo que não é recomendável com o COVID-19 rodando o mundo. Então, seguindo a recomendação da Organização Mundial de Saúde e outros órgãos regionais, o Google cancelou o evento físico para evitar a aglomeração de pessoas e possíveis infecções, repetindo assim os passos tomados pelos organizadores da Mobile World Congress 2020 e o Salão do Automóvel de Genebra.

Em comunicado, o Google diz o seguinte:

 

“Devido às preocupações em torno do coronavírus (COVID-19), e de acordo com as instruções sanitárias do CDC, OMS e outras autoridades sanitárias, decidimos cancelar o evento físico do Google I/O no Shoreline Amphitheatre.”

 

 

 

Google I/O 2020 será via streaming

 

Não sabemos se o Google I/O 2020 terá uma nova data para acontecer. Por enquanto, não foi anunciado oficialmente uma alternativa ao evento físico, nem se as datas entre 12 e 14 de maio de 2020 estão mantidas como planejado. Outros eventos, como a Game Developers Conference 2020 e o Digital Connect (voltado para os serviços na nuvem) vão acontecer através de um streaming, e é muito provável que a gigante de Mountain View tome a mesma decisão, apresentando pelo YouTube todas as novidades planejadas.

Já os desenvolvedores que adquiriram entradas para o evento serão reembolsados em sua totalidade antes do dia 13 de março de 2020.

 

 

 

Sinal dos tempos

 

Vamos ter que nos acostumar com isso por algum tempo, pois enquanto a crise do coronavírus COVID-19 durar, os principais eventos de tecnologia e outros eventos que devem resultar em uma grande concentração de pessoas vindas de diferentes partes do mundo serão cancelados.

Alguns podem entender que essa medida é drástica demais, e que pode gerar pânico e alarmismo desnecessário entre as pessoas. Mas é preciso lembrar que, no momento em que esse post é produzido, não há uma vacina para o COVID-19, e o vírus começou a sofrer mutações nos países onde se faz presente a mais tempo, o que torna mais complexa a missão de combatê-lo ou para encontrar uma cura.

Por isso, todo cuidado é pouco para evitar que a crise tome proporções ainda maiores. Apesar do baixo índice de mortalidade, nós ainda não entendemos o suficiente sobre o COVID-19 para combatê-lo de forma eficiente.

 

 

Via 9to5Google


Compartilhe