Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Internet | Google Bard é tão mentiroso quanto o ChatGPT

Google Bard é tão mentiroso quanto o ChatGPT

Compartilhe

De pouco vale o Google Bard chegar ao Brasil, se ele cai no mesmo erro do ChatGPT: a ferramenta de Inteligência Artificial da gigante de Mountain View não é confiável para dar respostas.

Aliás, consegue ser pior que a solução da OpenAI, já que o Bard tem acesso à internet. E, ainda assim, fica inventando informações para completar contextos.

Realizei alguns testes nas primeiras horas do Google Bard no Brasil, e foi triste ver uma Inteligência Artificial inventiva, para não chamar de mentirosa.

Tá, estou sendo muito duro com o Bard. Vou aliviar a sua barra: a ferramenta ainda está em fase experimental.

 

As ferramentas de IA ainda não são confiáveis

Uma das coisas boas que o Bard tem é oferecer links para as respostas das consultas, onde qualquer um pode ver o que outros usuários perguntaram para o chatbot. O único problema aqui é que as respostas são incorretas.

Da mesma forma que acontece com o ChatGPT, o Google Bard exige que os usuários adicionem o máximo de informações para realizar tarefas como produção de textos e roteiros de vídeos (é o meu caso). Quanto maior o volume de dados que você oferece para o chatbot, mais precisas e completas são as respostas.

Outro ponto positivo do Bard é permitir que o usuário vote na resposta e adicione comentários para corrigir erros e melhorar a qualidade do retorno. É um recurso que o Google já introduziu em outros serviços da empresa, do Tradutor até o Google Mapas.

E isso mostra que até mesmo a mais poderosa tecnologia precisa da intervenção humana para ser cada vez melhor.

Voltando aos erros de respostas do Bard. Em consultas diretas, é flagrante a falta de precisão da plataforma, que ainda está se adaptando para atender as demandas legais, principalmente da União Europeia.

Que as Inteligências Artificiais inventam respostas, todo mundo sabe disso. Mas o que o Bard faz chega a ser algo bizarro.

 

Sem fontes, sem vitória (e até com fonte ele é perdedor)

Dois testes rápidos que fiz com o Bard mostram o quão burro ou mentiroso ele é neste momento.

No primeiro teste, eu pedi para que ele escrevesse um artigo sobre o GP da Inglaterra de Fórmula 1 em 2023.

Como retorno, o Bard até acertou os três primeiros colocados, mas inventou a volta em que Max Verstappen ultrapassou Lando Norris para assumir a liderança e, nisso, caindo em contradição, pois afirmou que o piloto holandês da Red Bull “liderou a corrida de ponta a ponta”.

O Bard também inventou a diferença de pontos de Verstappen para Sérgio Perez no campeonato de pilotos, além de mentir sobre um incidente entre Valtteri Bottas e Esteban Ocon.

E no segundo teste, o Bard foi ainda pior: eu pedi para que ele escrevesse um artigo sobre o site targethd.net, usando as informações disponíveis na internet, e o retorno que ele deu é que o meu site de tecnologia é, na verdade, uma página que compartilha informações sobre “transtorno do espectro do autismo (TEA)”.

Ou seja, a grande diferença entre o Google Bard e o ChatGPT neste exato momento é que o Bard tem acesso à internet, algo que só é possível na plataforma da OpenAI pagando a versão Plus (ou utilizando um plugin alternativo).

Neste aspecto, o Bing Chat está um passo à frente: é um pouco mais preciso e confiável porque fornece os links das fontes utilizadas nas respostas. E, mesmo assim, o chatbot da Microsoft inventa informações para completar o contexto das respostas fornecidas.

Ou seja, mesmo com links das fontes utilizadas, as respostas não coincidem com o que explica os links indicados.

 

Conclusão

A regra é clara, pelo menos por enquanto: não confie de forma cega nas respostas oferecidas por um chatbot com Inteligência Artificial.

Nenhuma plataforma ainda está totalmente madura para ser 100% confiável, pois ainda estão em processo de aprendizagem e amadurecimento. O máximo que o Google Bard faz neste momento é errar com acesso à internet, do mesmo jeito que o ChatGPT Plus faz.

A melhor forma de utilizar um chatbot com Inteligência Artificial ainda é com o objetivo de otimizar processos a partir de uma base de informações que você fornece na solicitação da ação.

Escrever e-mails rapidamente, produzir textos informativos (e não é o caso desse aqui, que tem a minha opinião o tempo todo), escrever roteiros para vídeos, montar estratégias de marketing, roteiros de viagens e outras tarefas que normalmente levam muito mais tempo podem ser executadas sem maiores problemas pelo Bing Chat, Google Bard e ChatGPT.

E… mesmo assim… é de bom tom revisar fontes e verificar tudo antes de publicar o artigo, encaminhar e-mails, mandar o trabalho escolar para o professor ou enviar o relatório para o chefe.


Compartilhe