A Sony chegou a ter 5% do mercado global de smartphones. E esse foi o seu ápice dentro do segmento. Nunca foi líder de mercado, mas era bem vista para muita gente por causa da qualidade dos seus produtos. Mas nos últimos anos, era irrelevante no setor. E pode ter dado nessa semana o primeiro passo para sair da competição.

A empresa começou a implementar severas medidas de austeridade na sua divisão de smartphones, como por exemplo o fim da produção de produtos em Beijing e a saída oficial de mercados como América do Sul e Oriente Médio. Não foi a primeira que fez isso e, no futuro, fechou as portas. Logo…

Na tentativa de reduzir custos, a Sony fundiu o seu departamento mobile com o de televisores, mas isso não era o suficiente para estancar o fracasso nas vendas de smartphones. A ideia da empresa é tornar o negócio de telefones lucrativo de novo até 2020, e para isso até as expectativas de receitas para a maioria das suas divisões foi reduzida.

Porém, é um prazo muito apertado. A linha Xperia não dá apenas prejuízo. Ela tem hemorragia financeira: no último trimestre, a Sony perdeu US$ 368 milhões com o segmento mobile.

 

 

A prioridade agora é o PlayStation

 

 

Por outro lado, a divisão gaming da Sony é a mais lucrativa da empresa, e com sobras. Ou seja, juntar os departamentos mobile, TVs, câmeras e áudio é um passo mais que necessário para que toda a empresa comece a gerar um lucro que é projetado em US$ 1.1 bilhão. Se alcançarem essa meta, já é uma vitória, pois representa um aumento de 58% nos lucros em comparação a 2018.

O PlayStation 5 é mais uma grande chance da Sony gerar receitas, e por isso a maioria dos seus recursos financeiros são direcionados para a fabricação e produção do console da próxima geração. Os 1% de cota de mercado da empresa no segmetno mobile é péssimo para quem quer sobreviver, e o ideal seria a venda dessa divisão móvel, tal e como Nokia, BlackBerry e outras já fizeram no passado diante de um cenário semelhante.

Tudo indica que a última tentativa da Sony com o segmento de smartphones será com a tecnologia 5G. E por mais triste que seja ver uma marca tão significativa como a Xperia desaparecer, não tem como não aceitar que a sua relevância nesse momento é mesmo de 1%. E toda empresa visa o lucro. Não podemos culpar a Sony por querer ser lucrativa.