Compartilhe

Eu sou fã de João Carlos Martins.

Conheci ele como maestro de orquestra, mas a maior parte de sua vida ele se destacou por ser um dos pianistas mais aclamados da história. Porém, depois de tantos acidentes e problemas na vida, ele foi perdendo a sua capacidade motora de executar o instrumento que tanto amava, a ponto de só conseguir tocar com poucos dedos e de forma bem limitada.

Porém, João Carlos Martins é sinônimo de vencedor. E desde 2019, ele está utilizando luvas biônicas que permitiram a façanha de fazer o músico voltar a tocar piano. A tecnologia fez com que ele superasse a doença degenerativa que estava roubando dele a sua capacidade de executar a música no instrumento.

 

 

 

São luvas mais simples do que você imagina

 

 

Quem criou as luvas que devolveram ao João Carlos Martins a sua capacidade em executar música em um piano foi o designer industrial brasileiro Ubiratã Bizarro da Costa. Agora, essa criação está rodando o mundo, se destacando como uma criação tecnológica que pode ajudar a mudar muitas vidas nos próximos anos.

Na verdade, Ubiratã afirma que não pretendia criar um produto revolucionário ou com o objetivo final de ganhar dinheiro ou comercializar a invenção. Ele só queria oferecer um presente ao amigo pianista.

E… convenhamos… que BAITA presente, hein, Ubiratã? Na verdade, acho que não foi só o João Carlos Martins que ganhou o presente em poder voltar a tocar piano, mas nós também, admiradores da boa música, ganhamos de presente o prazer em ouvir este musicista voltar a executar peças musicais de todos os estilos neste instrumento.

Falando um pouco mais sobre a tecnologia das luvas.

Não temos nada de implantes ou eletrônicas avançadas aqui. São simples luvas que realizam o movimento no dedo de forma automática, a partir da intenção do usuário. Lâminas de fibra de carbono exercem a força para levantar ou abaixar o dedo nas teclas de acordo com o movimento inicial de cada dedo na execução.

Digitar no computador ou teclar mensagens no WhatsApp podem ser coisas bem simples para mim e para você, mas para João Carlos Martins era algo que estava se tornando impossível por conta de sua doença degenerativa e pelos acidentes físicos que ele sofreu ao longo da vida.

E a luva tem papel fundamental aqui. É a intermediária entre a vontade de tocar piano e a execução musical propriamente dita.

 

 

 

Luvas que custam R$ 500

 

 

Se alguma empresa se interessar em desenvolver as luvas em larga escala, saiba que o custo de produção das mesmas é de apenas R$ 500, o que torna o produto com esse propósito uma verdadeira pechincha. Considerando que uma cirurgia no cérebro custa bem mais do que isso (sem falar em tratamentos caros), a luva está quase de graça.

João Carlos Martins teve que passar por 26 cirurgias e mais de 100 dispositivos diferentes para solucionar o problema de suas mãos. As luvas funcionam muito bem, mesmo com a atrofia muscular que segue avançando no pianista. Ele ainda não consegue tocar na velocidade que ele queria, mas ao menos pode recuperar parte da sua agilidade ao piano.

E é por isso que sou apaixonado por tecnologia.

Não é apenas porque discutimos se você tem o direito de customizar o seu iPhone, ou porque queremos o nosso PlayStation 5. Eu amo a tecnologia porque ela pode mudar a vida das pessoas de forma tão incrível e significativa que, em algumas ocasiões, a recompensa transcende os conceitos materiais.

Nesse caso, ganhamos sim o presente de ter um excelente pianista tocando de novo. Mas mal consigo imaginar a alegria que João Carlos Martins está sentindo ao poder voltar a fazer música no instrumento que ele tanto ama.

 

 

 

Via RedditAP


Compartilhe