O site iFixit publicou o seu processo de desmontagem do Apple Watch Series 4, revelando as principais novidades internas do produto, e o quão fácil é a reparação do mesmo.

Além do aumento da tela, o sistema de detecção de quedas com chamada de emergência e o eletrocardiograma integrado são as novidades mais importantes. Inclusive alguns profissionais da área média estão preocupados, pois a função ECG tem uma taxa de acerto médio de 90%.

No final das contas, o Apple Watch Series 4 não substitui um médico de verdade, mas apenas complementa o seu trabalho e ajuda o usuário no dia a dia.

O processo de desmontagem do iFixit revela várias informações que ilustram perfeitamente o modelo de construção seguido pela Apple nesse smartwatch. As impressões gerais são positivas, com melhorias na configuração dos componentes, mostrando mais um passo na direção correta.

Existem importantes acertos internos, mas também existem erros. Uma realidade que resultou em uma pontuação de 6/10 para o produto por parte do iFixit. Uma nota até razoável, levando em consideração que estamos falando de um produto da Apple (que tem um histórico de notas baixas no site).

 

 

Estes são os argumentos que justificaram a nota:

Pontos positivos

– É possível trocar a pulseira do relógio de forma simples e rápida. As pulseiras das gerações anteriores são compatíveis com o Apple Watch Series 4.
– Trocar a tela é difícil, mas não impossível.
– É fácil trocar a bateria.

O que poderia ser melhor

– A Apple não usou parafusos especiais, mas utilizou parafusos muito pequenos, o que complica as reparações.
– Boa parte do cabeamento de vários componentes estão unidos diretamente ao SoC S4, fazendo com que as reparações sejam muito mais trabalhosas, cuidadosas e complexas.
– O SoC S4 está integrado em um bloco sólido de resina que é impossível de ser aberto sem produzir danos irreversíveis, o que significa que se esse bloco quebrar, ele terá que ser trocado por completo.

 

Via iFixit