Apple compra o negócio de modems para smartphones da Intel por US$ 1 bilhão | TargetHD.net TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia
Press "Enter" to skip to content

Apple compra o negócio de modems para smartphones da Intel por US$ 1 bilhão

Compartilhe

Os rumores se confirmaram, e a Apple anunciou que adquiriu “a maior parte” do negócio de modems para smartphones da Intel, com um pagamento de US$ 1 bilhão pela divisão. A compra vai permitir para a gigante de Cupertino desenvolver os seus próprios chips em casa, sem depender de terceiros.

O negócio inclui a migração de 2.200 funcionários da Intel, que passam a fazer parte da Apple, assim como o catálogo de aproximadamente 17.000 patentes e equipamentos que eram de propriedade da Intel. A transação deve ser encerrada no final de 2019, após passar por todas as aprovações regulatórias.

 

 

Apple, e sua independência

 

 

O movimento é estratégico e importante. Agora, a Apple pode produzir os seus próprios modems 5G para os seus dispositivos móveis, que podem inclusive chegar aos seus computadores e outros dispositivos no futuro.

Assim, a Apple deixa de depender da Qualcomm, evitando as batalhas legais que derivaram em uma nova dependência da Intel, que por sua vez não conseguia abastecer a demanda. A gigante de Cupertino não depende mais das licenças de patentes da Qualcomm ou de pagamento de royalties para usar a sua tecnologia.

Por outro lado, a Intel vai seguir desenvolvendo esses chips para computadores, dispositivos de IoT e carros autônomos. Ou seja, qualquer coisa que não seja um smartphone.

Vale lembrar que a Apple está trabalhando no desenvolvimento dos seus próprios modems quando ainda enfrentava os problemas legais com a Qualcomm. Com a divisão da Intel em suas mãos, a gigante de Cupertino pode acelerar esses desenvolvimentos.

Também é importante mencionar que Apple e Qualcomm chegaram recentemente a um acordo que acabou com todas as disputas legais, onde a Apple tem acesso à tecnologia da Qualcomm durante os próximos seis anos, com opção de extensão por mais dois anos. E esse é o tempo necessário para a Apple assentar bem as bases de desenvolvimento da sua nova divisão, para só depois se livrar da dependência da Qualcomm de uma vez por todas.

 

Via Apple


Compartilhe