Compartilhe

Mal chegou, e já está sendo criticado. Isso beira ao bullying…

O SoC Apple A14 estreou no novo iPad Air, e com certeza estará presente no futuro iPhone 12. É um chip que promete, com sua construção em 5 nanômetros da TSMC, mas nem todo o hype fez com que alguns jornalistas lá fora ficassem um tanto quanto céticos com o novo processador móvel da Apple.

Muitos especulavam pelo salto para os 8 núcleos em uma estrutura big.LITTLE, mas a Apple optou por ser conservadora, mantendo as configurações vistas desde o SoC Apple A11, com seis núcleos divididos em um bloco de dois núcleos de alto desempenho e um bloco com quatro núcleos de alta eficiência energética. As melhorias foram na arquitetura para melhorar o desempenho do novo processador.

 

 

 

O quanto ele é melhor que o Apple A13?

 

 

A Apple foi bem engraçadinha ao comparar o Apple A14 com o Apple A12, presente no iPhone XR e iPhone XS, e achou que todo mundo era trouxa. Onde está o comparativo com o Apple A13, chip do iPhone 11?

A Apple também não falou se o aumento de 40% de desempenho em relação ao Apple A12 é em single-core ou multi-core. E, de novo, compara um chip novo com um processador de dois anos atrás.

Só eu acho isso estranho?

Se é para colocar em contexto, podemos intuir (e não afirmar, porque não temos dados concretos), que o desempenho bruto do SoC Apple A14 é de 15% a 20% melhor que o Apple A13. E nem podemos achar isso ruim, pois o processo de fabricação de 5 nm é um salto de evolução impressionante no processo de fabricação dos processadores.

Sim… tem o mérito da TSMC pela fabricação do chip. Mas se não é a Apple pensando no design desse processador, nada teria acontecido. Logo, dê o mérito aos dois nesse caso.

 

 

 

Outras melhorias importantes

 

 

O Apple A14 integra uma nova GPU da Apple com quatro núcleos gráficos que rende 30% a mais que a GPU do Apple A12. E, de novo, o Apple A13 foi esquecido no churrasco nessa comparação. Porém, de novo, partindo da teoria dos números, o novo processador tem uma GPU entre 8% e 10% mais eficiente que o chip da geração anterior.

O novo chip também conta com uma unidade de processamento neural de última geração que, aqui sim, tem um considerável salto em relação ao Apple A13 (10 TOPs, contra 6 TOPs), o que com certeza vai deixar o iPhone mais eficiente nas tarefas de inteligência artificial.

Não dá para saber ainda o quanto essas melhorias do Apple A14 vão impactar no consumo de bateria dos novos iPhones, mas todas as novidades abrem as portas para duas possibilidades:

 

1) Ou a Apple ajustou tudo para entregar o máximo desempenho com a mesma autonomia de bateria (ou um pouco maior);

2) Ou a Apple refinou o desempenho para oferecer um consumo de bateria maior.

 

Conhecendo a Apple do jeito que a gente conhece, tudo indica que a primeira opção é a mais provável. Mas vamos esperar por números oficiais.

 

 

 

Apple A14X para MacBook vem aí?

 

 

É possível, já que a Apple quer impulsionar a transição da arquitetura x86 para a ARM na sua linha de Macs e MacBooks.

Logo, há quem diga que o primeiro passo para isso é lançar um MacBook “acessível” com chip Apple A14X, que mantém a base do Apple A14, mas que contará com uma CPU de 8 núcleos (4 de alto desempenho + 4 de alta eficiência) e uma GPU mais potente.

Esse tal MacBook “econômico” seria apresentado no mesmo evento dedicado ao iPhone 12, de modo que podemos ter mais informações sobre o assunto ao longo das próximas semanas.

No final das contas, vamos ter que esperar por novidades mais impactantes quando o iPhone 12 e o hipotético novo MacBook chegarem. O Apple A14 foi uma evolução “meia boca” para um chip que não evoluiu tanto quanto a Apple quis vender.


Compartilhe