Agora é oficial: o PlayStation 2, lançado em 2000 e recebendo jogos de forma oficial até 2013, quando começou a ser retirado de catálogo de forma gradual nos diferentes mercados onde a Sony atua, deixou oficialmente de existir em termos comerciais a partir do dia 1 de setembro de 2018.

O console de 128 bits acumulou vendas totais de quase 159 milhões de unidades, superando as 104 milhões de unidades do primeiro PlayStation, e dos 86 milhões de unidades do PS3. É o console mais vendido da história, e o mais popular de todos os tempos.

O Japão foi um dos países onde o PS2 mais obteve sucesso, com longevidade de vendas e suporte técnico oficial, que se mantém ativo até hoje no país, via PlayStation Clinic, que também está chegando ao final do seu ciclo de vida.

A Sony avisou aos usuários japoneses do PS2 (e parceiros comerciais) que o prazo para abrir uma incidência e solicitar o serviço técnico por vias oficiais se encerrava em 31 de agosto. Todos os que cumpriram com esse limite e realizaram pedidos de assistência terão até o dia 7 de setembro para levar os dispositivos para o posto de reparação PlayStation Clinic.

Os produtos serão analisados e reparados pelos técnicos, mas algumas reparações podem não ser concluídas por conta da antiguidade da plataforma e a correspondente ausência de peças para manutenção.

Aqui, é importante reconhecer o bom trabalho da Sony, ainda mais quando pensamos que se trata de um produto de tecnologia, e vivemos em um tempo onde a obsolescência programada é praticada sem qualquer pudor no segmento dos smartphones, por exemplo.

Estamos falando de um console que recebeu suporte oficial por 18 longos anos. São quase duas décadas para um único produto. Nesse tempo, o mundo testemunhou a chegada do PS3 e do PS4, além de uma renovação dentro de uma geração (PS4 Pro).

Convenhamos: 18 anos é uma eternidade quando falamos de tecnologia com ciclos de vida tão específicos como é o dos smartphones.

 

Via The Verge