Compartilhe

O smartphone é considerado por muitos algo indispensável, nos mantendo conectados e entretidos no dia a dia. Hoje, as implementações de software e hardware entregam essa tal conectividade de forma sem precedentes, e hoje podemos nos conectar a qualquer pessoa, a partir de qualquer lugar do mundo.

Porém, um dos itens mais valorizados pelos usuários de smartphones é a sua autonomia de bateria, o que fez com que muitos fabricantes desenvolvessem melhorias e investissem mais e mais na melhora da autonomia dos seus dispositivos.

Porém, para a surpresa de todos, os especialistas na área confirmam que uma dessas tecnologias que utilizamos todos os dias é a culpada para que uma bateria de um smartphone dure cada vez menos.

 

 

Smartphones com menor vida útil

 

 

A cada ano, esperamos que a autonomia de smartphones melhore consideravelmente, afastando de nós o constante medo de ficar sem autonomia no telefone em um dia onde temos muitas coisas importantes para fazer.

Por isso, especialistas em tecnologia móvel da Universidade de Purdue descobriram que é normal que a bateria do smartphone sofra de desgaste com o passar do tempo por causa da ação mecânica dos íons no seu interior.

Porém, os cientistas descobriram que, infelizmente, é o modo de recarga rápida, tão utilizado nos dias de hoje, está danificando e provocando um desgaste muito mais acelerado nos telefones em comparação com uma carga normal.

Para chegarem a essa conclusão, os investigadores utilizaram Raios X e a inteligência artificial para determinar através da tecnologia 3D o total desgaste produzido pelas constantes recargas utilizando a tecnologia de recarga rápida.

 

 

Mais rápido, menos bateria

 

 

As conclusões são claras: o uso desse recurso desgasta e danifica a sua bateria mais rapidamente. Mais: os especialistas observaram que até as opções introduzidas pelos fabricantes para evitar que isso aconteça também não funcionam como deveria.

Os diferentes fabricantes que implementaram o sistema de recarga rápida também introduziram diversos eletrodos, que são um pouco mais grossos que o normal, para assim reduzir o desgaste da bateria. Porém, o desgaste da bateria pode ser muito pior com o uso desses eletrodos.

Os especialistas observaram que deter a degradação da bateria com o tempo é impossível, e para piorar, a carga rápida acelera muito mais este processo. De modo que eles recomendam encarecidamente para que os fabricantes pensem em novas maneiras de facilitar a troca das baterias nos smartphones.

É uma situação parecida com o que todos viviam em 2009, quando esta prática era normal e não chamava a atenção de ninguém. Ao que parece, os fabricantes deveriam considerar essa opção, já que a implementação de novas tecnologias está jogando contra os usuários.

 

Via FayerWayer


Compartilhe