cripto moedas

A febre das cripto moedas e da mineração desse novo dinheiro fácil está chegando ao ponto de bolha, e produzindo novos tipos de crimes.

Vários métodos ilegais e esquemas obscuros são revelados, para que terceiros acabem minerando tais cripto moedas. Agora, foi revelado um esquema que usa as redes WiFi abertas.

São vários os casos conhecidos de sites com códigos que aproveitam os recursos dos internautas para minerar moedas. O caso do The Pirate Bay é o mais conhecido, e não foi bem recebido pelos seus usuários.

O mais recente caso de WiFi minerador foi o de uma unidade da Starbucks em Buenos Aires (Argentina), onde os clientes da loja eram usados para minerar o Monero, recorrendo ao código CoinHive presente no seu site de recompensas.

 

 

O código foi encontrado na página de acesso ao serviço, que retinha os usuários por dez segundos, aproveitando para minerar o Monero, redirecionando depois para o site da Starbucks.

Durante os 10 segundos, os usuários não sabiam que estavam colaborando para a mineração, e julgavam ser apenas um simples contador para o eventual redirecionamento.

Não se sabe ao certo qual é o papel da Starbucks nesse processo (se está envolvida ou se foi envolvida sem o conhecimento disso). Fato é que este é um cenário cada vez mais real e comum, fazendo uso dos recursos dos usuários para gerar as moedas virtuais. Uma vez o código inserido nos sites, ele se torna permanentemente e discreto na máquina ativa.

 

Via @imnoah