Depois de muita discussão, o Twitter decidiu aderir aos 280 caracteres para mensagens. Muita gente foi contra, afirmando que isso seria negativo. Um anos depois da mudança, mostramos quais foram os efeitos práticos dessa mudança.

Os números são definitivos. Apenas 1% de todas as mensagens publicadas no Twitter alcançam os tais 280 caracteres. E apenas 12% são maiores do que 140 caracteres (antes, apenas 9% das mensagens alcançavam esse limite).

O novo limite também fez com que as pessoas ficassem mais educadas, com um maior uso das expressões ‘por favor’ e ‘obrigado’ (+54% e +22% respectivamente em inglês).

O novo limite também deixou a escrita melhor, e apesar das abreviações ainda se fazerem presentes, o uso de termos ‘great’, ‘before’ e ‘sorry’ cresceram 32%, 72% e 31%, respectivamente.

Os 140 caracteres funcionou bem, estimulando a criatividade na hora de fazer piadas ou compartilhar notícias. Um ano depois, todos se acostumaram com a mudança, e o fato de não ser tão reduzidas as mensagens entregaram textos com melhor contextualização, oferecendo mais informação em uma mensagem.

 

 

E no Brasil?

 

Apesar de muita gente achar que a mudança para 280 caracteres ser considerado péssimo (por entenderem que a rede social iria virar a rede dos textões ou com mensagens com uma palavra por linha), os testes realizados pelo Twitter revelaram que menos de 5% dos usuários brasileiros ultrapassavam os 140 caracteres, e menos de 2% iam além de 190 caracteres.

E a verdade é que todo mundo se acostumou com a mudança, que foi positiva para todos.

 

+info