Compartilhe

O mundo mobile segue a evoluir, e a popularização dos smartphones gaming resultou em uma evolução mais rápida. Nesse sentido, um aspecto ganhou protagonismo: os hertz na tela. Nesse post, vamos entender por que ele se tornou tão importante nos dispositivos móveis.

 

 

O que são os hertz?

 

 

Um hertz (Hz) representa um ciclo por segundo, entendendo o ciclo com o a repetição de um sucesso. A magnitude que se mede um hertz se denomina frequência, e nesse caso se aplica às telas dos smartphones como taxa de atualização. Em termos simples, indica quantas vezes uma tela se acende ou se apaga por segundo. Ou seja, 60 Hz = 60 ativações/desativações por segundo. E isso acontece tão rápido, que você não consegue perceber.

 

 

Os hertz, a fluidez e os fotogramas por segundo

 

 

Os hertz se aumentam para melhorar a fluidez de imagem. Quanto mais alta a sua frequência, maior fluidez a tela entrega para exibir a imagem, e nosso cérebro percebe menos cortes e saltos entre as imagens. Hoje, o padrão mobile está em 60 Hz, mas no mundo dos smartphones gaming, esse número tende a subir, e com o tempo valores mais altos também se tornarão padrão.

Não confunda hertz com fotogramas por segundo (FPS). São conceitos similares, mas vão para lados opostos do mesmo caminho: a imagem. Os hertz representam as vezes que uma tela acende ou apaga por segundo, enquanto que os fotogramas por segundo indicam a quantidade de imagens que uma tela pode gerar por segundo.

Hz = mostrar. FPS = gerar.

São temas tão opostos que podem ser distinguidos com facilidade. Um dispositivo que pode gerar 60 imagens por segundo mas só pode gerar 30 imagens por segunda na tela resulta em, pelo menos, metade das imagens descartadas. Normalmente um smartphone com 60 Hz contam com softwares que limitam em 60 FPS para gerar imagens. mas isso pode mudar no futuro.

Nesse momento, um smartphone gaming pode até oferecer 90 Hz ou 120 Hz em sua tela, mas os softwares nesse momento só exibem, no máximo, 60 FPS. Testes pilotos mostram que é possível elevar esse limite a 220 FPS, o que exigiria uma tela que trabalhe a 220 Hz. Até lá, se você tem uma tela com 120 Hz, podemos dizer “nada mal, é o suficiente para o momento, mas ainda tem margem para crescer”.


Compartilhe