Compartilhe

Mais uma polêmica a caminho…

O 10x Engineer é um engenheiro (normalmente um programador) que é capaz de ter um desempenho dez vezes melhor que os demais integrantes de um projeto. Apesar da piadinha que o 10 também pode ser um comportamento binário, o que não ajuda muita coisa. Enfim, essa é a atual analogia sobre a produtividade, o trabalho solitário e a idolatria do gênio. Um conceito que combina muitos dos estereótipos dessa profissão.

A maioria dos engenheiros repudia o 10x Engineer, entendendo que essa visão oferecida por esse tipo de profissional não é a mais produtiva ou válida para o entorno laboral.

 

 

A origem da polêmica

 

Shekhar Kirani, investidor da empresa Accel India, publicou em sua conta no Twitter comentários sobre a relevância do 10x Engineer, com frases de efeito como “se alguma vez você encontrar alguém dessa rara raça de engenheiros, não deixe essa pessoa escapar”, “eles odeiam reuniões”, “muitos deles são programadores noturnos, quando ninguém está por perto”, “usam o fundo de tela preto”, “escrevem códigos com a mesma velocidade que falam” ou “pensam que custa muito ensinar algo para alguém, e preferem fazer eles mesmos”.

 

 

Os vários tópicos mencionados por ele receberam múltiplas respostas.

Mas o conceito de 10x Engineer nasceu em 1968, quando foi publicado um estudo experimental que comparava o desempenho da programação online da offline. O estudo comparava o desempenho de programadores 7 anos de experiência, e a média de diferença entre os melhores e os piores era de 20 por 1 no código inicial, 25 por 1 na depuração, 5 por 1 na otimização do programa e 10 por 1 na velocidade de execução.

E é desse último parâmetro que surgiu o conceito 10x Engineer.

Estudos posteriores demonstraram que existem várias ordens de magnitude de diferença entre os melhores e os piores programadores, mas com diferentes resultados em função da metodologia utilizada.

 

 

A reação da comunidade informática

 

As reações não demoraram a chegar e a maioria repudia o 10x Engineer. Se Kirani queria polêmica, ele conseguiu, pois deixou de lado habilidades muito valiosas para um engenheiro, como a capacidade de trabalhar em equipe, pensamento criativo e atitude positiva.

O mito do gênio programador existe há muito tempo, mas além das habilidades técnicas, existe um alto componente de egocentrismo, que o próprio indivíduo pertencente ao 10x Engineer nem sabe que tem.

Além disso, o investidor também aproveitou para diferenciar os programadores back-end dos front-ends, uma questão que, em pleno 2019, deveria estar superada.

 

 

Essa nova polêmica com o 10x Engineer é um fiel reflexo da visão que tem alguns investidores e diretores sobre os programadores e engenheiros. O próprio Kirani se surpreendeu com a repercussão de suas palavras, e enfatiza a importância do trabalho em equipe ao afirmar que sua empresa (e seus funcionários) segue sendo ‘fenomenal’ na fase inicial de um desenvolvimento de um produto.

É possível que realmente existam profissionais do tipo 10x Engineer espalhados pelas empresas, mas de acordo com o Dev.to, eles conhecem os seus limites, são independentes mas sabem trabalhar em equipe, ajudam os demais, são amáveis, se adaptam aos diferentes editores e, principalmente, são pessoas com quem as pessoas realmente querem trabalhar. Porque, no final das contas, esse gênio programador até pode ser muito bom, mas talvez demitir ele antes dos problemas aparecerem pode ser a melhor opção em alguns casos.

E… se você quer saber se você é um 10x Engineer… clique aqui e faça o teste!

 


Compartilhe