timmusic by deezer - Nada de TIMmusic by Deezer para clientes pré da TIM (e a concorrência agradece)

Ei, você, operadora de telefonia e internet móvel!

Quer uma forma de perder clientes?

Fácil: retire alguns benefícios deles.

Não é uma estratégia inteligente para os seus negócios e, de quebra, abre as portas para a concorrência fazer a festa.

Foi o que a TIM fez ao remover o serviço de streaming de música TIMmusic by Deezer dos usuários do TIM Pré 1 GB. Os demais planos (controle, pós e TIM Beta) não foram afetados.

Esse plano custa R$ 14,99 a cada sete dias, e agora os clientes que querem continuar a ouvir as suas músicas pelo TIMmusic by Deezer terá que pagar R$ 4,09 por semana.

O plano já não é essa maravilha toda. Cortando um benefício então, fica difícil de te defender, né TIM?

O tal plano TIM Pré Turbo (que de Turbo não tem nada) oferecia 1 GB de dados, WhatsApp livre da franquia (exceto chamadas de voz e vídeo), chamadas ilimitadas TIM-TIM e 100 minutos para outras operadoras. Por sete dias de uso.

O plano foi substituído pelo TIM Pré Smart, que tem o mesmo valor, mas com 1.5 GB de dados (com bônus de até 1 GB), WhatsApp e Facebook Messenger livre (incluindo chamadas de voz) e ligações ilimitadas. Esse plano não tem mais o Deezer, encerrando a sua degustação em 26 de setembro.

 

timpre music deezer - Nada de TIMmusic by Deezer para clientes pré da TIM (e a concorrência agradece)

 

A ideia da TIM é atrair mais clientes para os planos pós e controle. O próprio Deezer agora vale apenas para o TIM Beta (pré-pago), TIM Controle B Plus e TIM Black (pós-pago).

Ou o TIMmusic by Deezer flopou mesmo, o que não é nenhum pecado.

Apenas como comparativo: o prezão ilimitado da Claro (que eu já critiquei aqui no blog porque não funcionou direito comigo) tem um plano por R$ 14,99/mês com 3 GB de internet, WhatsApp e ligações ilimitadas.

Na verdade, os planos pré no Brasil, na sua maioria, são bem ruins. Mas é muito fácil uma operadora perder clientes para a concorrência quando começa a retirar benefícios dos usuários.

Por outro lado, se a estratégia está funcionando (a TIM registrou aumento de clientes nos planos pós e controle), quem somos nós para julgar?

Só lamentamos pelos clientes que ainda ficam (ou precisam ficar) no pré-pago. Ficam com serviços cada vez mais capengas.