A Microsoft fechou uma parceria com a Xiaomi, mais especificamente em um Memorando de Entendimento (MoU) entre as duas empresas.

O acordo de colaboração contempla compartilhar tecnologias, além de trabalhar em conjunto para desenvolver e fabricar hardware, assim como dispositivos baseados em inteligência artificial e computação na nuvem.

A parceria visa novos produtos, mas também auxilia a Microsoft na expansão do seu mercado na China. Ao mesmo tempo, a Xiaomi avança no mercado norte-americano.

Não foram revelados detalhes sobre os custos envolvidos na parceria, mas detalhes sobre como tudo funciona na prática foram esboçados. Por exemplo, a Xiaomi poderá utilizar a plataforma Azure para administrar atualizações dos seus dispositivos a partir de servidores nos Estados Unidos e outras regiões fora da China.

A Xiaomi também terá acesso à Cortana, para assim desenvolver e fabricar com a Microsoft alto-falantes inteligentes. Sem falar que a Xiaomi pode ser a fabricante de futuros smartphones da Microsoft.

As duas empresas trabalharão em conjunto para desenvolver tecnologias baseadas em inteligência artificial. Por outro lado, a Xiaomi terá acesso a serviços como Bing, Edge, SwiftKey, Translator, Pix, Cognitive Services e Skype, que podem se fazer presentes na maioria dos seus dispositivos.

A parceria pode ser um duro golpe para empresas como Huawei e ZTE, que enfrentam dificuldades para vender seus produtos nos Estados Unidos, dando caminho livre para a Xiaomi ganhar esse mercado e ampliar a sua presença.

O anúncio foi recebido com bons olhos dentro da comunidade de tecnologia. As ações da Microsoft cresceram 3% depois do anúncio que ampliou a colaboração que existe com a Xiaomi desde 2015.