O IBM Debater é fruto do Project Debater, em desenvolvimento desde 2014. Ele é programado e treinado na nobre ciência da retórica para debater diversos temas contra profissionais da argumentação.

A ‘máquina do debate’ da IBM reconhece a linguagem neural de forma instantânea, e teve o mérito de vencer o debate contra Noa Ovadia, uma oradora ‘campeã de debates’ de Israel que falava a 218 palavras por minuto.

O tema escolhido foi ‘O uso de fundos públicos para a exploração espacial’, e as regras diziam que cada competidor tinha quatro minutos para expor sua ideia, quatro minutos para uma réplica e dois minutos de conclusão.

O IBM Debater leu todo o material existente sobre o tema, tentando compreender a questão. Na prática, ele filtrou os argumentos na tentativa de comprovar a qualidade da informação. Preparou um resmo com os pontos mais importantes e evitou se repetir (coisa que nem sempre consegue) e até incluiu algumas piadas na sua dissertação. Vale lembrar que, durante a competição, o IBM debater não estava conectado na internet.

 

“É fácil dizer que há coisas mais importantes nas quais poderíamos gastar dinheiro, e eu não discuto isso. Ninguém disse que a exploração espacial seria a única coisa em que deveríamos gastar dinheiro, e isso não vem ao caso. O que vem ao caso é que investir na exploração espacial beneficiaria claramente a sociedade, logo é algo que o governo deveria se envolver.”

– IBM Debater

Na opinião do público, o IBM Debater venceu, por ter uma exposição e respostas mais informativas. No vídeo abaixo, vemos parte do treinamento para outros temas como ‘o uso de fundos públicos para a educação musical’ ou ‘remédios médicos não científicos’.

Agora… vencer esses debates elaborados é fácil. Quero ver o IBM Debater vencer um hater no Twitter ou discussões em fóruns da internet. De qualquer forma, o placar está Inteligência Artificial 1, Humanos 0.