TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Fonte Calibri da Microsoft é centro de escândalo político no Paquistão | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Variedades | Fonte Calibri da Microsoft é centro de escândalo político no Paquistão

Fonte Calibri da Microsoft é centro de escândalo político no Paquistão

Compartilhe

Calibri

De acordo com investigações judiciais no Paquistão, Maryam Nawaz, filha do primeiro ministro do país Nawaz Sharif, falsificou documentos para ocultar propriedades do seu pai no estrangeiro. E as autoridades só descobriram isso porque os documentos apresentados por Maryam estavam escritos com a fonte Calibri e datam de 2006… quando essa tipografia não foi lançada pela Microsoft de forma pública até 2007!

A Calibri é a fonte pré-definida do Microsoft PowerPoint, Excel, Outlook e Word em 2007. Porém, no site da Microsoft, foi constatado que a versão 1.0 dessa fonte estava disponível para download desde 2005, sem falar que ela estava disponível como parte de um pré-lançamento do Windows em 2004.

Os dados técnicos podem ajudar na defesa da família criminosa. Lucas De Groot, criador da fonte Calibri, foi entrevistado e se mostra cético sobre a possibilidade de alguém ter utilizado uma fonte completamente desconhecida antes do seu lançamento oficial e em um documento oficial.

 

 

Nawaz Sharif é um dos envolvidos nos famosos Papéis do Panamá de 2016. Tais documentos detalhavam inúmeras formas que os ricos adotavam para regimes fiscais extraterritoriais secretos. Toda a família foi mencionada no relatório ao lado de vários chefes de estado.

A imprensa paquistanesa não fala de outra coisa, e no Twitter a palavra Calibri é trending topics ao lado da hashtag #fontgate. Já a página da Wikipedia do Calibri recebeu pedidos de edição diversos, e nesse momento está bloqueada.

Os partidos de oposição no Paquistão pediram a renúncia de Sharif. Já o partido do governo se defende dizendo que o detalhe relacionado à fonte é “lixo”.

Polêmica servida, senhores!

 

Via The Express TribuneReuters


Compartilhe