No final de 2018, a DeepMind (empresa de inteligência artificial do Alphabet) já era a melhor do mundo em vário jogos de mesa, incluindo obviamente o xadrez e o shogi (o xadrez japonês). Naquele momento, a maioria de nós, meros mortais, sabia que a Inteligência Artificial em questão estava “apenas treinando”.

Agora, a DeepMind decidiu mostrar os resultados desse treinamento, onde a Inteligência Artificial (que foi batizada como AlphaStar, para mais fácil identificação) enfrentou jogadores profissionais do game StarCraft II.

Para uma IA, leva algum tempo para dominar games de estratégia tão complexos como Dota 2 ou StarCraft II. A OpenAI conseguiu vencer oponentes humanos em Dota 2 em agosto de 2018, e a Tencent desenvolveu uma IA que foi capaz de vencer os bots de StarCraft II na dificuldade máxima.

 

 

De qualquer forma, até agora, nenhuma IA tinha derrotado jogadores humanos em StarCraft II. A DeepMind chegou para mudar tudo, derrotando Dario TLO Wünsch e Grzegorz LiquidMaNa Komincz em dez partidas.

Vale a pena observar que a AlphaStar só aprendeu a jogar com e contra Protoss (em StarCraft II você pode escolher entre três raças diferentes: Terran, Zerg e Protoss). Wünsch normalmente não joga com essa raça, mas Komincz sim.

Cada um dos profissionais enfrentou a AlphaStar em uma série de cinco partidas, e mesmo sendo partidas disputadas, a IA venceu em 10 oportunidades. Para o seu treinamento, a IA assistiu aos replays das partidas durante três dias seguidos. Logo, a AlphaStar foi dividida em diferentes versões dela mesma, obrigando cada versão a competir entre elas em torneios que duraram sete dias.

O que foi realmente surpreendente nesse experimento é que eles conseguiram derrotar jogadores profissionais em pouco tempo, já que em novembro de 2018 a Blizzard se surpreendeu que a DeepMind alcançou uma índice de sucesso de 50%. Olhando o ritmo que tal tecnologia avança, é seguro dizer que tal IA vai seguir nos surpreendendo nos próximos meses.