Os Dash Buttons sequer chegaram ao Brasil, e não chamou a atenção de absolutamente ninguém. Agora, podemos dizer que este é um raro fracasso para uma Amazon acostumada a vencer.

Praticamente tudo o que a Amazon toca vira ouro. O assistente pessoal Alexa, os alto-falantes inteligentes Echo, o Kindle, o AWS e a sua loja web são alguns dos inúmeros exemplos de sucesso da empresa. Porém, a Amazon não é perfeita: seu smartphone com quatro câmeras e o Dash Button são dois itens da pequena lista de fracassos.

Agora, os Dash Buttons desapareceram do site da empresa, ficando indisponíveis para venda para (muito provavelmente) nunca mais voltar, a não ser que seja profundamente redesenhado.

Para quem não se lembra, o Dash Button é um botão que permitia a compra de um produto de forma automática, já que conta com todos os dados de sua conta e informações de pagamento pré-programados. Basta esperar chegar o pacote em casa com o seu pedido. Havia versões do Dash Button para todos os tipos de produtos.

 

 

A ideia da Amazon era estabelecer o uso dos botões para produtos de primeira necessidade ou uso diário. Aqueles itens que você esquece nas listas de compras. O ideal era que o botão estivesse no mesmo lugar onde você guarda o produto, no lugar de buscar o smartphone para realizar o pedido.

A ideia só era boa para a Amazon. Com o tempo, os Dash Buttons era uma solução para um problema que não existia. E a indústria da tecnologia é especialista em fazer isso. Mas nesse caso, nem mesmo os fanáticos pela Internet das Coisas se convenceram. Não que os botões fossem inúteis. Até porque eles eram hackeáveis para outros propósitos.

Os Dash Buttons foram um experimento que não deu certo. Representam o pior da Internet das Coisas. São inteligentes porque podem ser, mas não são úteis nem melhoram a nossa vida.

Não vão fazer falta alguma.