Em 5 de agosto, o 8chan perdeu o suporte do Cloudflare como serviço para a proteção de ataques DDoS, o que fez o polêmico fórum cair em diversas oportunidades, até que ele não aguentou ficar em pé na internet. Bom, não na internet que conhecemos: agora, o fórum está na ZeroNet, uma internet alternativa que funciona via P2P para evitar a censura e a centralização dos servidores.

Esta foi a solução encontrada pelo 8chan, ao apostar em uma tecnologia que não é nova, mas sempre teve relevante quando algum site ou serviço importante da web passa para esse universo alternativo à internet tradicional.

 

 

Uma internet descentralizada e com tecnologia P2P

 

 

A ZeroNet é uma rede descentralizada, que opera de forma similar às redes P2P: a informação é transmitida entre os usuários de forma direta, sem contar com um servidor no meio. É um serviço baseado em código aberto, e no lugar de operar com um endereço IP para cada usuário, todos são identificados como em uma rede blockchain. O uso de uma chave blockchain permite realizar alterações no site acessado, de forma similar ao que é feito com qualquer criptomoeda.

Na teoria, é impossível censurar um site ZeroNet, que está distribuído em diferentes computadores. Também não há custos de manutenção da página nesse caso, pois tudo fica armazenado nos computadores dos usuários que querem acessar a página.

A ZeroNet funciona na maioria dos navegadores modernos. Basta instalar o aplicativo para funcionamento (para Windows, macOS ou Linux), e o mesmo cria um servidor local que acessa e armazena os sites, que podem inclusive operar sem internet.

 

 

O que diferencia a ZeroNet da TOR

 

 

São tecnologias diferentes, que compartilham de algumas características

A primeira diferença é que a ZeroNet não é realmente anônima. Uma vez que o usuário está dentro dela, ele pode deixar anônima a sua conexão, e faz isso utilizando a TOR que, por sua vez, é anônima desde o começo.

A TOC se centra em cifrar com diferentes capas de conexão o usuário, modificando a conexão para que a mesma não seja direta com o servidor. Já a ZeroNet é centrada no alojamento das páginas web de forma descentralizada, via P2P. A combinação das duas tecnologias resulta em uma rede totalmente descentralizada e anônima.

Por fim, a ZeroNet é muito mais amigável, com navegabilidade mais cômoda e simples.

 

 

Como acessar a ZeroNet, e o que você vai encontrar lá

 

 

Basta instalar o app da ZeroNet, que está disponível de graça. Uma vez instalado, abra o seu navegador de internet preferido e você vai acessar o site inicial da ZeroNet. A partir daí, basta navegar pelas páginas disponíveis, onde em alguns casos você precisa ter um nome de usuário, ou acessar tudo pela ZeroID.

O funcionamento da ZeroNet é realmente muito simples: para cada página acessada, o programa faz o download de uma versão da mesma no computador. Isso é feito para um acesso perfeito, mas também para que o seu computador atue como um servidor, e outros usuários possam acessar os seus dados. Bem no mesmo estilo torrent.

 

 

Se você encontrar alguma mensagem de erro, é porque não existem usuários suficientes na página para um download da mesma de forma correta. Mas é possível encontrar vários serviços dentro da ZeroNet, como gestor de e-mails e mensagens instantâneas, fóruns de discussão, serviço de mapas, minerador de Bitcoin e, é claro, a lista completa de sites disponíveis. Tem de tudo por lá.

Por ser uma alternativa teoricamente sem censura, é possível encontrar por lá os conteúdos mais polêmicos, indo de pornografia até páginas com vendas de produtos ilegais.

 

 

O futuro sem censura do 8chan

 

 

Pela forma em como a ZeroNet é concebida, esse parece ser o lugar perfeito para um fórum como o 8chan, que publica e comenta conteúdos polêmicos ou que incita o ódio. Não dá para acaber com o 8chan sem acabar com a ZeroNet de uma forma eficiente. É o mesmo que tentar acabar com os torrents.

Na teoria, a ZeroNet é o lugar ideal. Porém, migrar para ela significa deixar a internet que todos usam por uma ínfima parte da população. O 8chan pode até se manter de pé na ZeroNet, mas não com o mesmo alcance que a internet tradicional. É o mesmo que temos hoje com a Dark Web: há coisas muito mais radicais que na internet tradicional, mas a sua dificuldade de acesso impeça que tudo que é dito nela ganhe grande repercussão.

 

Via ZeroNet