O YouTube informa que eliminou 8.3 milhões de vídeos entre outubro e dezembro de 2017, com o argumento de tais conteúdos eram considerados inapropriados, mas disfarçados de vídeos ‘aptos para crianças’.

Os dados vieram de um relatório que serve como resposta do YouTube às criticas recebidas que alegam a plataforma demora tempo demais para tomar providências com tais vídeos.

O relatório agora será publicado com periodicidade trimestral para mostrar os progressos alcançados na eliminação de conteúdos infratores na plataforma. É uma forma de mostrar que o YouTube está trabalhando para solucionar o problema, tendo em conta que novos vídeos que violam tais normas foram detectados ao longo do mês de março.

 

 

6.7 dos 8.3 milhões de vídeos mencionados forma marcados pela primeira vez para revisão por máquinas, e nunca foram publicados. O sistema de aprendizagem automática do YouTube para controlar conteúdos não é ruim, apesar de estar longe de ser perfeito, e ajuda na melhor revisão desse conteúdo.

 

 

Os algoritmos podem eliminar alguns conteúdos por si, mas reenvia tudo o que suspeita infringir as pautas do YouTube para revisores humanos, que decidem se o vídeo deve ou não ir para a plataforma, ou se ele precisa passar por uma classificação etária.

 

 

Em dezembro de 2017, o YouTube anunciou que estava recrutando 10 mil pessoas na Google para revisar os vídeos marcados. A plataforma garante que dotou seu time com a maioria das funções adicionais necessárias para alcançar uma maior eficiência nesse filtro, mas é provável que vai levar um tempo para que 10 mil pessoas estejam 100% dedicados a revisar conteúdos, uma vez que o treinamento para isso tende a ser longo.

Vamos esperar para ver o que o próximo relatório vai dizer.

 

 

 

Via Google BlogYouTube Informe