Compartilhe

Muita gente ama a Xiaomi (bom, alguns amam um pouco menos depois da inauguração da loja da empresa no Brasil e os seus preços absurdos para vários produtos bem populares), e muita gente está esperando pela Xiaomi Mi Band 4. A pulseira de atividades é um dos produtos mais populares da marca, e um dos menos inflacionados. Logo, o que podemos esperar da próxima versão do gadget?

Nesse post, vamos resumir tudo o que sabemos até agora sobre a Xiaomi Mi Band 4.

 

 

Possíveis características da Xiaomi Mi Band 4

 

 

Para começar, o botão ovalado e incrustado na tela que já vimos na Xiaomi Mi Band 3 vai dar lugar para um novo botão capacitivo refletido na tela com um círculo sobreimpresso, mas sem notch ou bordas.

Outra grande novidade é a tela colorida, com ícones do tempo, batimentos cardíacos, atividades esportivas e outras funcionalidades típicas. Sua bateria terá uma maior capacidade, o que não significa maior autonomia, já que a tela colorida gasta mais energia. Mesmo assim, você ainda vai carregar esse gadget poucas vezes por mês com 135 mAh de bateria do Xiaomi Mi Band 4.

Além disso, a Mi Band 4 deve contar com NFC para pagamentos em sua versão internacional (e não apenas na China). Também vai receber melhorias no sensor cardíaco, podendo oferecer um eletrocardiograma, medindo a atividade cardíaca e alertando sobre anormalidades no seu organismo. Porém, a pulseira não substitui o médico (se você sentir algo errado com o seu coração, vá atrás de um profissional).

Outra melhoria está na tecnologia Bluetooth 5.0, aumentando a eficiência na conexão com o seu smartphone, podendo receber notificações inclusive com o telefone mais longe da pulseira.

Por fim, a Xiaomi já confirmou que a Mi Band 4 será apresentada em 11 de junho, na conferência MIJIA, onde a empresa vai apresentar todas as suas novidades para dispositivos domésticos inteligentes. Nesse dia, vamos eliminar outras dúvidas como preço ou disponibilidade do produto, que é uma das melhores pulseiras esportivas do mercado.


Compartilhe