A Xiaomi apresentou hoje (19) uma série de novos smartphones. Nesse post, vamos falar do modelo mais potente deles, o Xiaomi Mi 8 Pro.

O modelo é uma versão melhorada do Xiaomi Mi 8, contando com o processador mais potente da Qualcomm, a máxima RAM disponível e câmera dupla traseira. Porém, a principal novidade do dispositivo é o leitor de digitais na tela.

O acabamento agora vem em duas cores (combinação de laranja e vermelho), e não há informações oficiais sobre a sua bateria, de modo que deve ser a mesma do Mi 8, ou seja, com 3.400 mAh.

 

 

A diferença mais notável é a inclusão do leitor de digitais na tela, algo já antecipado pela denominação prévia ao dispositivo (Xiaomi Mi 8 Fingerprint Edition), com uma velocidade 29% maior em relação ao Mi 8 Explorer Edition, com uma leitura 8% mais precisa.

Com isso, o design do produto fica mais limpo, e na edição com cristal transparente é possível ver melhor a placa-mãe simulada.

 

 

Do mais, temos o Snapdragon 845 com opções de 6 GB ou 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. Nas câmeras, mais uma vez a combinação de dois sensores traseiros de 12 MP, com estabilização ótica de imagem e zoom ótico, e um sensor frontal de 20 MP integrado no notch, que recebe o mesmo sistema de reconhecimento facial do Mi 8 padrão. O dispositivo ainda conta com uma tela Super AMOLED de 6.21 polegadas (2248 x 1080 pixels).

Por enquanto, o Xiaomi Mi 8 Pro está disponível na China, com preços sugerido de 398 euros para o modelo com 6 GB de RAM.

 

 

É curioso ver como o novo modelo custa bem menos que o Xiaomi Mi 8, que custa mais de 500 euros. Veremos se essa queda de preço se mantém quando o produto chegar aos mercados internacionais.

No Brasil, você sabe muito bem que a forma mais eficiente para se obter esse produto é importando o mesmo, uma vez que a Xiaomi desistiu de estabelecer o seu modelo de negócios no Brasil.