Compartilhe

A batalha pela recarga rápida mais rápida (sim, é redundante) nos smartphones continua, e os fabricantes chineses estão vencendo. A Vivo mostrou em fevereiro um telefone com carga rápida de 80W, e agora a Xiaomi sobe a barra com uma recarga de 100W (já exibida em 2019), que deve chegar ao mercado em um futuro próximo.

Se a recarga rápida for por cabo, a Vivo é a líder com a sua tecnologia Super FlashCharge de 120W, que pode recarregar um smartphone em apenas 13 minutos. Porém, no caso a Xiaomi, estamos falando da recarga sem fio, onde até agora Oppo e Xiaomi contavam com o recorde com 30W. E o “até agora” vale por causa do Vivo APEX 2020, com carga sem fio de 60W. E a Xiaomi compartilhou um vídeo que mostra o funcionamento de sua recarga sem fio de 40W.

 

 

 

A metade da carga em menos de 20 minutos

 

O vídeo mostra um smartphone com bateria de 4.000 mAh que, mediante um sistema de recarga sem fio de 40W, pode alcançar 57% da capacidade de bateria em apenas 20 minutos, o que resulta em uma recarga completa em apenas 40 minutos.

A nova velocidade de carga sem fio pode representar um grande salto para a Xiaomi, considerando que os modelos Mi 10 e Mi 10 Pro contam hoje com a recarga mais rápida, nos já citados 30W.

Com essa amperagem, dá para igualar as soluções de telefones top de linha de outras marcas, como o Huawei P30 Pro, que tem uma bateria de 4.200 mAh.

 

 

 

Não podemos nos esquecer que o Vivo APEX 2020 é um protótipo, e mostrar uma tecnologia é uma coisa, e implementar essa tecnologia em um modelo comercial é outra muito diferente. A recarga por cabo de 100W da Xiaomi ainda não é uma realidade, e a empresa reconhece que ainda não possui uma rota para o lançamento comercial da nova tecnologia de recarga rápida sem fio de 40W.

 

 

 

E rápida sim, mas não tenha pressa…

 

A tecnologia de recarga sem fio não deve chegar tão cedo nos smartphones comerciais, sem falar que antes dessa tecnologia chegar ao mercado, os fabricantes e desenvolvedores ainda precisam resolver alguns problemas que ainda se fazem presentes e são impeditivos para que tais funcionalidades se tornem uma realidade.

Talvez o principal desafio das bancadas de desenvolvimento de baterias com tecnologias de recarga rápida esteja na degradação dessas baterias a longo prazo, que será mais rápida porque vai receber uma energia com uma voltagem maior. Os fabricantes ainda precisam resolver esse grande obstáculo antes dessas baterias chegarem ao mercado.

Por outro lado, os desenvolvedores chineses estão dando aula na mostra de novas soluções para compensar um dos maiores problemas dos smartphones modernos. Como é mais difícil aumentar a autonomia de bateria dos dispositivos, aumenta-se a velocidade de recarga, diminuindo o tempo de espera do usuário em poder utilizar o seu telefone novamente.

Ainda veremos progressos dessa tecnologia de recarga rápida de baterias de smartphones (com ou sem fio), e temos mostras cada vez mais consistentes que ela está avançando entre os fabricantes. Mas… 100W tão cedo? Não veremos. 60W? Vai demorar mais um pouco. 40W? Isso é algo bem mai possível de acontecer ainda em 2020.

 

 

Via Android Authority


Compartilhe