Compartilhe

Depois de vários vazamentos recentes, a Xiaomi apresentou oficialmente o Xiaomi Black Shark 2, mais um smartphone gaming que tenta conquistar os fãs desse segmento com uma ótima relação custo/benefício. O modelo mantém o seu estilo estético, mas é atualizado com o mais potente em hardware para smartphones Android e algumas particularidades para uma melhor experiência de jogo.

 

 

6.4 polegadas, em busca da melhor taxa de atualização

 

 

O Xiaomi Black Shark 2 conta com uma tela AMOLED de 6.39 polegadas (FullHD+), com taxa de atualização de 43.5 milissegundos, sendo esta a tela com latência mais baixa do mercado mobile. A tela promete uma boa visibilidade em qualquer ambiente e ângulo de visão, com o modo de leitura e o DC Light Dimmer, que regula a intensidade de iluminação da tela. Além disso, o modelo recebe as tecnologias TrueClarity MEMC, que compensa e estima o movimento para evitar imagens borradas.

A tela do Xiaomi Black Shark 2 também recebe a conversão em tempo real do SDR para o HDR, além de incorporar sensibilidade a pressão em dois pontos específicos para diversas ações, na tecnologia Master Touch, onde as ações são mais rápidas durante o jogo, economizando até 80 ms disparando em um jogo FPS.

A tela é integrada em um chassi cuja estética está marcada pelas linhas vistas em outros smartphones gaming, com tons escuros e luzes. O logo dos dois lados são em LED RGB que se iluminam de acordo com os efeitos dos videogames ou da música, e podem ser personalizados.

 

 

Mais vibração, mas potência no áudio e recarga rápida

 

 

O Xiaomi Black Shark 2 conta com o novo processador da Qualcomm para os modelos top de linha, o Snapdragon 855. O chip é preparado para o 5G e conta com unidade de processamento neural, além de trabalhar nesse caso com 12 GB de RAM. Para refrigerar todo esse poderio técnico, o modelo incorpora o sistema de refrigeração líquida Direct Touch Liquid Cooling System 3.0, o primeiro do mundo a integrar uma multi-capa líquida. Nesse sistema, o calor se dissipa cobrindo todas as áreas de maior aumento de temperatura.

Tudo é alimentado por uma bateria de 4.000 mAh, prometendo sessões de jogo de até cinco horas com uma autonomia de até 60% a mais que os seus concorrentes diretos. O dispositivo suporta o modo de recarga rápida de 27 watts (cinco minutos de recarga entregam 30 minutos de jogo).

 

 

Um software adaptado ao gaming

 

 

O Xiaomi Black Shark 2 recebe a Ludicrous Mode, interface onde o processador entrega o desempenho máximo evitando a queda de frames. O Shark Space – Inmersive Gaming, que libera toda a memória RAM ocupada pelas demais tarefas e dedica (quase) exclusivamente ao jogo ativo em primeiro plano. E o Game Dock permite o aceso rápido e personalizável para as opções do jogo, sem sair completamente do mesmo.

 

 

Um áudio a altura dos mais exigentes

 

 

O Xiaomi Black Shark 2 incorpora dois alto-falantes frontais para oferecer som estéreo e três microfones, dois com cancelamento de ruído e colocados na parte frontal. O sistema evita que apareçam problemas durante o jogo presencial na parte de áudio.

O Xiaomi Black Shark 2 pode reconhecer diferentes ambientes, armas, movimentos ou golpes, adaptando para diferentes vibrações e buscando oferecer uma nova dimensão aos jogos.

Na parte de conectividade, o Xiaomi Black Shark 2 integra uma antena dupla, com uma forte conexão em 360 graus com uma antena X-type Smart. Isso faz com que a conexão se mantenha estável, não importando a orientação do telefone, algo essencial nas partidas online.

 

 

O novo smartphone recebe uma série de acessórios, como a conexão de um cabo HDMI a um monitor externo, além do GamePad 3.0 para que o dispositivo se transforme em um controle de console.

O Xiaomi Black Shark 2 com 8 GB RAM + 256 GB tem preço sugerido de 500 euros. Já o modelo com 12 GB RAM + 256 GB custa 550 euros. Não há informações sobre a data do seu lançamento.

 


Compartilhe