Compartilhe

Para os usuários que estavam animados com a possibilidade da Microsoft voltar com as atualizações em formatos de Service Packs (por entender que elas eram muito mais eficientes que os problemáticos updates acumulativos), eu tenho uma péssima notícia: o que aconteceu em novembro foi apenas um teste.

Diferente das versões anteriores do Windows 10, o November 2019 Update não era uma nova versão maior que adicionava novas características ao sistema operacional, mas sim um pacote de melhorias de desempenho e de experiência de uso, no melhor estilo Service Pack, que se popularizou no Windows 7.

De forma curiosa (ou não, quando olhamos para o histórico), essa foi uma das atualizações mais estáveis que o Windows 10 recebeu em anos, e muitos usuários ficaram com a impressão que o modelo de update do Windows 10 passaria das grandes atualizações maiores semestrais ou anuais para a volta dos Service Packs, com o objetivo principal de deixar o sistema operacional mais refinado.

Nada disso. Tudo foi apenas um plano que a Microsoft não vai seguir em frente.

 

 

Foi apenas um programa piloto

 

 

A Microsoft explica que não pretende mais utilizar os “pacotes habilitadores” no futuro, voltando para a sua agenda habitual de duas atualizações anuais, como vem fazendo até agora.

A entrega das atualizações de características 19H2 através de uma atualização acumulativa e um pacote de habilitação é um programa piloto. Não existe um plano formal para entregar futuras atualizações nesse mesmo formato. A Microsoft segue acompanhando de perto as opiniões dos usuários, e essa experiência acumulada deve servir de base para planos futuros da empresa, mas não necessariamente para marcar a volta dos Service Packs.

Explicando para os mais leigos: o “pacote habilitador” é o que você recebeu quando o Windows Update indicou para você que a atualização de novembro estava disponível para o seu computador, uma vez que o sistema operacional já havia realizado o download dos arquivos necessários através das atualizações acumulativas da versão May 2019 Update, mas que se encontravam em estado latente.

Isso acontece porque a atualização November 2019 (1909) e a versão May 2019 (1903) compartilham de um mesmo núcleo e conjunto de arquivos do sistema, de modo que ela pode ser entregue como um parche de correção mensal, simplificando e deixando muito mais rápido o processo de download e instalação dessa atualização.

A Microsoft não planeja um lançamento futuro como esse, mas isso não quer dizer que nunca mais eles voltarão a esse formato. Deixa claro que não está na agenda da empresa, e é bom lembrar que até quando a própria Microsoft planeja algo de forma oficial não necessariamente significa que esse algo vai passar.

Particularmente, entendo que a Microsoft deveria voltar com as Service Packs. Funcionam muito bem para a maioria dos usuários e equipamentos, e reduzem de forma considerável os inúmeros problemas que as atualizações do Windows 10 estão entregando em suas últimas versões.

Em algumas situações, é melhor voltar atrás para fazer aquilo que funcionava tão bem do que insistir em mecânicas novas que mais atrapalham do que ajudam. Mas nesse momento, só podemos esperar por um lampejo de bom senso por parte de Satya Nadella e sua turma.

 

Via gHacks


Compartilhe