Compartilhe

No passado, a Microsoft repudiava o Linux. Porém, no presente, a empresa reconhece que estava do lado errado da história. E materializa o arrependimento em várias posturas decorrentes de surpreendentes acontecimentos.

Hoje, a Microsoft ama o Linux (seja por interesse ou não), e isso afetou o Windows 10, que está recebendo características que por anos estavam presentes no Linux. E nesse post, vamos mostrar essas evidências, para você não começar a achar que isso é tudo fruto da minha imaginação.

 

 

 

Um Windows 10 muito Linux

 

A Microsoft BUILD 2020 está acontecendo em conferências virtuais, onde os desenvolvedores estão conhecendo as novidades vindas de Redmond. Algumas das novidades são voltadas para o usuário final, e é aqui que encontramos as tais singularidades.

Três dessas novidades contam com fortes inspirações no Linux.

 

 

 

Windows Terminal 1.0

 

Não que esse recurso tenha recebido grandes mudanças em relação às versões do passado, mas agora está em versão estável. É um dos recursos mais atraentes do Windows 10, especialmente para os desenvolvedores. Ainda mais agora que recebe o console Linux, através do suporte para diferentes distribuições, indo do Ubuntu ao Kali Linux.

O Windows Terminal 1.0 vai receber atualizações mensais, e permite o uso da GPU para renderização, além de contar com várias opções de personalização. Sem falar que ele traz outra surpresa escondida: o Windows Package Manager, ou winget.

 

 

 

Windows Package Manager

 

Esse é um nome bem conhecido dos linuxeiros: com o winget, a Microsoft vai permitir a instalação de pacotes de software do Windows da mesma forma que era feito no Linux no passado, e sem passar pela loja da Microsoft de forma obrigatória. É o mesmo conceito, o que deve ser bem interessante para quem se acostumou a usar as linhas de comando.

O Winget está disponível de forma preliminar, e apesar de já estar disponível no Github, as versões futuras estáveis estarão acessíveis na loja de apps da Microsoft.

 

 

 

Os maravilhosos Powertoys

 

Esse é um item que estreou no Windows 95, e é um pacote de utilidades para adicionar funções específicas. O projeto original foi abandonado, mas a Microsoft o ressuscitou em 2019, e o resultado é bem chamativo.

As Powertoys estão crescendo gradualmente, oferecendo mais opções, mas agora chega com uma novidade de muito destaque: um novo lançador de aplicativos que é ativado pela combinação de teclas ALT + barra de espaço, e mostra no centro do desktop uma barra de busca. Quando começamos a digitar, o sistema mostrará sugestões de aplicativos e comandos a serem executados.

Este lançador tem um funcionamento similar ao Spotlight do macOS, mas um pouco mais limitado por não realizar a busca de arquivos. O Linux também tem esse tipo de lançadores, e ainda que ele apenas traduza as opções disponíveis no campo de busca do Cortana na barra de tarefas, ela é intuitiva o suficiente para dar uma nova vida ao Windows.

São pequenos detalhes que deixam claro que é possível ver um sistema operacional como o Windows 10, que já conta com cinco anos de vida, oferecer surpresas e melhorando a sua interface de usuário, potenciando seus recursos e funcionalidades.

Mesmo que se inspirando em velhos rivais.

 

 

Via Microsoft


Compartilhe