Compartilhe

O WhatsApp tem mais influência em países como Brasil, Índia e México, podendo influenciar eleições e gerar consequências graves por rumores falsos. Ou seja, o aplicativo de mensagens instantâneas ainda é imperfeito no que toca aos problemas da sociedade.

WhatsApp está preocupado com as Fake News

Enquanto as demais redes sociais tomam medidas para eliminar as Fake News, nas conversas privadas não é tão fácil. O WhatsApp não tem acesso aos chats, e assim as notícias falsas ganham mais força.

Por isso, a primeira publicidade do WhatsApp em mídia tradicional fala desse problema, e não das suas características que o diferencia da concorrência. A principal preocupação da campanha é ensinar às pessoas que as Fake News existem e que não devem ser compartilhadas: “Compartilhem a felicidade, e não rumores”.

Da nossa parte, mais uma vez, fica o lembrete: cuidado com o que contam para você pelo WhatsApp. Nem tudo o que está na internet é verdade, e nem tudo o que as pessoas compartilham é verdadeiro. Aprenda a procurar as palavras ‘fonte’ e ‘via’ nas informações que você recebe, e exija que os sites que você segue indiquem tais informações da mesma forma.

Além disso, desenvolva o bom senso em você. Se a notícia é boa demais para ser verdade, ou muito irreal para ser verdade, provavelmente é exatamente isso o que está acontecendo. Olhar para a internet com um olhar suspeito e seguir fontes de informação seguras são formas muito eficientes de combater as notícias falsas.

O ano de 2018 mostrou para todos nós o poder destrutivo das Fake News. É uma ferramenta poderosa para conduzir uma massa de manobra alienada, que pouco ou nada se importa com a veracidade dos fatos. Por outro lado, também mostrou o quanto temos que nos preocupar com aqueles que podem ser manipulados por elas.

Como produtor de conteúdo, é a minha responsabilidade alertar as pessoas. É parte de uma missão. É a minha forma de contribuir para uma sociedade melhor e mais justa.

 

 


Compartilhe