Você quer um iPhone para Sempre?

Compartilhe

E quem não quer?

Planos de fidelidade são formas bem interessantes para usuários terem produtos de tecnologia que normalmente não poderiam ter em condições normais de temperatura e pressão (ou que não teriam coragem de pagar por tais produtos em sã consciência). Além disso, é uma forma dos fabricantes em capitalizar um dinheiro a mais, aumentando a cota de mercado e os lucros.

Agora, ter um iPhone para sempre… seria o seu sonho?

Então, basta você ser cliente do banco Itaú, ter um cartão de crédito do banco (algo que não é barato), e aderir ao programa iPhone para Sempre, que você vai ter o seu iPhone parcelado e com a opção de trocar o dispositivo no final do plano. E, é claro, começar a pagar tudo de novo pelo modelo novo.

 

 

 

Os caras pensaram direitinho…

 

 

Olhando para as letras miúdas, o iPhone para Sempre até que não parece um mau negócio. Levando em consideração que você vai pagar por parcelas fixas pelo dispositivo (com exceção da última, que tem 30% do valor do telefone) e que ainda tem a opção de trocar por um iPhone novo iniciando um novo parcelamento, essa pode ser uma forma interessante para ter um iPhone e renová-lo de tempos em tempos.

Nesse caso, o iPhone é seu desde o primeiro segundo. Tanto, que se quiser ficar com ele, basta pagar a parcela final de 30%, sair do plano e gritar que é um ser humano livre logo após sair do banco.

O Itaú também olhou para o comportamento do usuário médio dos smartphones da Apple, e entendeu que a grande maioria está trocando de iPhone a cada dois anos, assim como qualquer usuário de smartphone que tem algum poder aquisitivo costuma fazer hoje em dia (e a regra vale inclusive para os usuários de smartphones Android). Logo, a janela de 21 meses para a troca de um novo modelo é algo bem razoável.

Sem falar que os usuários que estiverem insatisfeitos com o seu iPhone atual podem simplesmente devolver o telefone, e estará livre de pagar a parcela final de 30%, considerando esse período que ficou com o dispositivo como um “aluguel” (o Itaú deixa claro que o iPhone para Sempre não é um programa de aluguel de smartphones, mas nesse caso em específico – o da devolução do aparelho para sair do plano -, podemos considerar que sim). Mas custo a acreditar que os usuários do iPhone vão simplesmente devolver o telefone e fingir que não ficaram pagando por um dispositivo que não é seu no final das contas.

 

 

 

O “Claro Up” do Itaú

 

 

Na prática, o iPhone para Sempre do Itaú é muito semelhante ao já extinto Claro Up, que oferecia a possibilidade de troca de smarpthones iPhone e Samsung Galaxy depois de um determinado período de tempo, desde que o membro do plano pague direitinho com suas parcelas.

Outro efeito prático do iPhone para Sempre é que você paga em mais parcelas o preço oficial da Apple para os seus smartphones, e sem cobrança de juros. Pode ser uma alternativa bem interessante para quem não quer usar o cartão de crédito para as elevadas parcelas da loja da Apple, ou para quem não tem um cartão de crédito com um limite tão generoso.

Por outro lado, o seu cartão do Itaú deve ter o limite suficiente para parcelar o iPhone em 21 vezes + a parcela final, o que torna o plano elegível apenas para o público alvo da própria Apple: os montados na grana.

 

 

 

Considerações finais

 

O iPhone para Sempre não é para mim, talvez não seja para você, que está lendo esse post em um Moto G7, mas pode ser para aquele seu tio rico e fazendeiro, que prometeu comprar o seu PlayStation 4 na próxima viagem de férias para Miami, mas aí veio uma crise sanitária global que atrapalhou tudo.

De novo: é um programa que pode valer a pena para quem não quer ter o efeito psicológico de ver uma parcela de R$ 800 na sua fatura de cartão de crédito durante 12 meses, e tem a certeza absoluta que vai trocar de iPhone depois de quase dois anos. É indiscutível que a vida é muito menos penosa com um parcelamento com valores menores.

Mesmo que esse parcelamento a longo prazo represente um pesadelo para os mais precavidos nos aspectos financeiros.

Mas não vou culpar o Itaú por tentar. Sei que tem algumas pessoas que vão se beneficiar do programa, trocando de iPhone a cada dois anos e sendo um ser humano mais feliz com isso.

Mais feliz do que eu, que continua a ver o iPhone como algo distante na vida. Mas… quem sabe o iPhone SE 2020 (se eu chegar vivo ao final de 2020, obviamente).

 

 

Via Itaú


Compartilhe