Os pais estão muito preocupados com o tempo que os filhos passam usando os seus smartphones, mas não se dão conta que são eles mesmos (os pais) que estão promovendo aos seus filhos a adoção dos próprios hábitos de uso.

Um estudo publicado pela revista BMC Obesity revela que os pais tem grande parte da culpa do tempo prolongado que os filhos diante de uma tela. Porém, outros fatores mais inconscientes resultam em um maior tempo de uso dos dispositivos móveis por parte das crianças.

Os pesquisadores coletaram dados de 62 crianças entre 1.5 e 6 anos, analisando o seu comportamento em relação aos seus pais (39 mulheres e 24 homens, com 64 progenitores no total).

Assim, foi controlado o tempo gasto na frente da tela pelos filhos e o tempo gasto pelos seus pais. Também foi registrado se os adultos passavam tempo na frente das telas com os seus filhos presentes.

 

 

Nada como os pais dando exemplo

 

 

O estudo revela que as crianças gastam em média uma hora e meia por dia na frente de uma tela durante os dias da semana, e nos finais de semana chegam a duas horas por dia. Já os seus pais ficavam duas horas e duas horas e meia, respectivamente.

É claro que tem uma relação nos tempos dos pais e dos filhos. Quanto mais tempo os pais ficam nos smartphones, os filhos imitavam esse comportamento, e isso era mais notário com as mães. Os resultados eram piores quando os adultos usavam o seu smartphone ou assistiam televisão na hora das refeições.

Outro detalhe do estudo foi o controle do comportamento dos filhos com com uma recompensa: “se você se comporta bem, eu deixo você ver TV”. Isso resultava em filhos que acabam vendo TV por muito mais tempo em comparação com aqueles que não recebiam esse tipo de tratamento, especialmente nos finais de semana.

Agora, você já sabe: se você quer que os seus filhos não fiquem presos diante de uma tela, faça o mesmo. Fique menos tempo diante da TV, do celular, do computador, do tablet ou qualquer outra tela.

 

Via BMC Obesity