Um magistrado de Washington freou as iniciativas da Defense Distributed em liberar os desenhos de impressão de armas em 3D.

O argumento para o veto é que tal iniciativa poderia representar “uma probabilidade de danos irreparáveis”, e qualifica o acordo da administração de Donald Trump com a empresa como “arbitrário e caprichoso”.

Os norte-americanos poderiam fazer o download legal de armas e imprimí-las em casa, como consequência do acordo alcançado entre a Defense Distributed e o atual Departamento de Estados dos EUA, depois de um longo processo judicial.

Porém, nas últimas horas, oito estados e Washington D.C. apresentaram um processo conjunto contra a administração Trump por esse pacto, o que vetou a iniciativa. Esse tipo de armamento, além de não registrado, é muito difícil de detectar pelos detectores tradicionais, e poderiam estar disponíveis para qualquer pessoa, independentemente de sua idade, saúde mental ou histórico criminal.

Já Donald Trump também demonstrou suas dúvidas nas redes sociais, afirmando que não faz muito sentido as vendas de armas 3D para o grande público.

 

 

E já tinha planos de armas para impressão em 3D na internet quatro dias antes da sua validação legal, alojadas no site da Defense Distributed na última sexta-feira (27/07).

Já a GOA, organização dos Proprietários de Armas nos EUA, defende a liberação das impressões, sempre se apoiando na Segunda Emenda da constituição norte-americana.